X
Santos

Laboratório municipal de Controle Ambiental vai para o Orquidário

O laboratório, que funciona em parceria com a Cetesb, instalado no Posto 3, será transferido para o Orquidário. No lugar, será instalada uma escola de surf para pessoas com necessidades especiais

O laboratório é responsável pelo monitoramento das praias. / Rodrigo Montaldi

Mesmo estando em uma área da praia proibida para a prática do surf no verão, o Laboratório de Controle Ambiental da Prefeitura de Santos, que funciona em parceria com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – Cetesb, instalado no Posto 3, será transferido para o Orquidário. No lugar, será instalada uma escola de surf para pessoas com necessidades especiais. 

Segundo a Prefeitura, a iniciativa não causará interferência nos serviços do equipamento e a data da transferência está em análise. A escola será destinada a todas as idades “ampliando, assim, o atendimento social e esportivo para este público”, informa a Administração. 

O Laboratório é responsável pelo monitoramento das praias, que acabam gerando as bandeiras verde e vermelha que indicam respectivamente se a praia está própria ou imprópria para banho. Ele capta amostras três vezes por semana, extraídas de sete pontos das praias, para identificar a classificação a um metro de profundidade do mar. 

O serviço é essencial para evitar a exposição aos banhistas às doenças de veiculação hídrica e patogênicos oportunistas, como gastroenterite, hepatite A, cólera, febre tifóide, entre outras. No mesmo equipamento funciona o Sistema Integrado de Monitoramento de Comportas. O sistema viabiliza intervenções imediatas em caso de abertura e fechamento desses equipamentos.

Sobre a questão do impedimento da prática de surf no verão no trecho, a Prefeitura informa que de acordo com o decreto 5229/2008, o surfe é proibido de dezembro a fevereiro e autorizado do canal 2 até a divisa. Nos demais meses, o esporte é liberado do canal 6 até a divisa.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Anvisa aguarda dados da Pfizer sobre variante delta para decidir sobre vacina para crianças

Ministério da Saúde prevê, no plano de vacinação do próximo ano, imunizar 70 milhões de crianças, o que depende de aprovação da agência

Saúde

Cubatão reduz para 4 meses o intervalo da dose adicional da vacina

A nova orientação vale para todas as pessoas a partir de 18 anos que tomaram as duas doses há pelo menos 120 dias

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software