Horta caseira é opção para alimentação livre de agrotóxicos

Há alternativas mesmo para quem mora em apartamento pequeno ou tem pouco tempo livre diariamente

Comentar
Compartilhar
22 ABR 2017Por Vanessa Pimentel10h30
Para evitar que a horta murche, não faltam dicas tanto na internet quanto nos comércios específicos. Um dos segredos é a quantidade certa de luz solar e águaPara evitar que a horta murche, não faltam dicas tanto na internet quanto nos comércios específicos. Um dos segredos é a quantidade certa de luz solar e águaFoto: Matheus Tagé/DL

Para alguns, cultivar um jardim costuma ser uma das formas de estreitar a relação do homem com a natureza. Para outros funciona até como terapia. De olho na popularização do hobby e pensando em oferecer opções para quem mora em imóveis pequenos, a loja Vila Verde, em Santos, oferece opções de cultivo de plantas e hortas dentro de apartamentos.

“Lidar com plantas funciona como uma terapia para eu que sou contador”, diz o proprietário, Marco Aurélio Queiróz, de 53 anos. Ele continua trabalhando com os números, mas mantém a loja que nasceu há oito anos, fruto de um relacionamento amoroso.

Marco diz que com o tempo aprendeu a entender a necessidade de cada planta, como cuidar, a quantidade ideal de água, sol e ventilação e também percebeu que o número de pessoas que têm procurado decorar a casa com elas ou cultivar hortas têm crescido.

Passou então a investir em utensílios que permitem o cultivo de hortaliças em espaços pequenos. Na loja é possível encontrar treliças de madeira que permitem que vasos sejam pendurados de forma vertical em qualquer parede livre do imóvel.

Orégano, manjericão, tomatinho cereja, alecrim e tomilho são os que mais saem, segundo a vendedora Suellen Cabral. Na hora da venda, ela explica como cuidar de cada um, o tempo de exposição ao sol e principalmente, a forma certa de irrigar.

Dicas

“A horta precisa ser colhida pelo menos uma vez por mês, mesmo que a pessoa não vá usar aquilo que colher. Digo isso porque as plantas entendem que como ninguém colheu os frutos que elas produziram, não precisam mais se reproduzir e acabam morrendo”, afirma Marco.

Além do prazer de colher algo produzido em casa, ele cita o benefício de se alimentar de forma saudável, natural e com certeza da procedência.

Horta na varanda

“Comecei uma hortinha na varanda de casa na tentativa de produzir alguns alimentos sem agrotóxicos. Procurei na internet e achei uma horta vertical, auto irrigável , ótima para apartamento. No início plantei hortaliças como alface, rúcula e tomateiro. Só que o tomateiro cresce demais e vira uma moita e a alface e a rúcula atraem muitos fungos porque o solo fica bastante úmido, então preferi trocar”, explica a bióloga Carol Souza.

Ela diz que horta é teste e cada pessoa vê o que melhor se adequa ao espaço que tem. Como a experiência com hortaliças não deu certo, preferiu cultivar temperos e três tipos de pimenta: dedo de moça, biquinho e cambuci, além de cebolinha e salsinha. “Não ocupam muito espaço nem fazem muita sujeira e da para cultivar tranquilamente dentro de apartamento”, afirma ela.

Além da horta, Carol investiu em uma composteira que, segundo ela, acaba fornecendo adubo para a jardineira. “É um ciclo. Para quem tem dúvidas, mostro que na internet já há guias e manuais de como fazer uma horta em casa, quais são as melhores plantas dependendo de quanto sol bate na varanda. Falta de espaço não é desculpa porque é possível plantar até no vitro da cozinha”, afirma.