Fumacê contra o Aedes será usado em quatro bairros de Santos

A ação, do tipo fumacê, será realizada pela seção de Controle de Vetores, da Secretaria Municipal de Saúde, sempre a partir das 18h

Comentar
Compartilhar
06 ABR 2021Por Da Reportagem10h25
O veículo com o fumacê passará em todas as quadras da Caneleira e São Jorge e, na Vila Nova e Vila Mathias, no trecho compreendido pela Avenida Washington Luís, ruas Braz Cubas e Bittencourt, Praça Iguatemi Martins, e ruas Silva Jardim e LowndesO veículo com o fumacê passará em todas as quadras da Caneleira e São Jorge e, na Vila Nova e Vila Mathias, no trecho compreendido pela Avenida Washington Luís, ruas Braz Cubas e Bittencourt, Praça Iguatemi Martins, e ruas Silva Jardim e LowndesFoto: Marcelo Martins / Prefeitura de Santos

Quatro bairros - Caneleira, São Jorge (Zona Noroeste), Vila Nova e Vila Mathias (Zona Leste) - receberão nebulização para combater o Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela urbana, entre esta terça (6) e quinta-feira (8). A ação, do tipo fumacê, será realizada pela seção de Controle de Vetores, da Secretaria Municipal de Saúde, sempre a partir das 18h.

O veículo com o fumacê passará em todas as quadras da Caneleira e São Jorge e, na Vila Nova e Vila Mathias, no trecho compreendido pela Avenida Washington Luís, ruas Braz Cubas e Bittencourt, Praça Iguatemi Martins, e ruas Silva Jardim e Lowndes.

Na semana passada, as equipes percorreram 45 quadras da Aparecida e 15 entre o Chico de Paula e a Vila Haddad. 

FÊMEAS ADULTAS.
No sistema do fumacê, o veículo tem que passar três vezes no mesmo local para que o inseticida atinja eficácia. É pedido ao morador que deixe portas e janelas abertas e, se possível, que levante a colcha da cama. A indicação da nebulização com o fumacê é para controle de fêmeas adultas do Aedes aegypti. Sua aplicação se dá em situações de emergência quando o controle preventivo não é suficiente.

A chefe técnica da Seção de Controle de Vetores, Ana Paula Favoreto, explica que a nebulização com o fumacê tem eficácia limitada. "Devemos considerar os hábitos do mosquito, que possui modo de vida preferencialmente dentro de casa. Somente os mosquitos adultos que estiverem em voo no momento da pulverização serão controlados".

Ela pede que, após a passagem das equipes nos bairros, os moradores continuem tomando cuidados como manter sem água os pratos de vasos com plantas, e retirar uma vez por semana a água das bandejas de geladeira (e colocar algumas gotas de detergente).

Também deve ser dada atenção às bandejas de bebedouro, que costumam acumular água. Elas têm que ser lavadas uma vez por semana e devem receber gotas de detergente. As caixas d'água devem estar bem fechadas e limpas com frequência. Os pneus têm de ser descartados em postos de coleta autorizados.

Outros cuidados são: limpar os ralos de casa uma vez por semana (os sem uso devem estar fechados), as piscinas devem ser tratadas com cloro (as não usadas têm que ser totalmente esvaziadas e sem poças d'água) e as vasilhas de água dos animais domésticos devem ser lavadas com esponja e sabão uma vez por semana.

DADOS.
Santos registrou este ano 501 casos de chikungunya e 237 de dengue - nenhum de zika. O último caso de febre amarela urbana data da década de 1940.