Santos

Filhos de Caetano Veloso e Gilberto Gil fazem show no Instituto Arte no Dique

Apresentação gratuita integra programação do festival O Som das Palafitas, celebrações de 20 anos da ONG e de 80 anos dos grandes ícones da MPB. Haverá um bolo gigante para cantar os parabéns

Da Reportagem

Publicado em 22/08/2022 às 11:38

Compartilhe:

Bem Gil e Moreno Veloso tocarão clássicos de seus pais, que fizeram, este ano, 80 anos cada um / Foto: Divulgação

O Festival O Som das Palafitas, promovido pelo Instituto Arte no Dique, segue com apresentações nos dias 25 e 26 de agosto. Destaque para o show especial com Bem Gil e Moreno Veloso, respectivamente filhos de Gilberto Gil e Caetano Veloso, na sexta-feira, 26 de agosto, 15h. Uma hora antes haverá apresentação do Coletivo Querô, formado por crianças e jovens da oficina de percussão da ONG santista.

Bem Gil e Moreno Veloso tocarão clássicos de seus pais, que fizeram, este ano, 80 anos cada um. No meio da apresentação, haverá uma pausa quando todos os colaboradores e a comunidade do Dique da Vila Gilda cantarão um parabéns, com direito a bolo gigante produzido na Padaria Artesanal da ONG. 

Afrosambah
Na quinta, 25 de agosto, será a vez da cantora Joh Correia fazer o show de abertura, 14h, seguida pela apresentação, 15h, Banda Afrosambah, que conta com Ubiratan, o Bira, o ex-professor de percussão do Arte no Dique.

Todos os shows são gratuitos e acontecem no Instituto Arte no Dique, Rua Brigadeiro Faria Lima, 1349, no Rádio Clube. Não há limite de lugares.

“Estamos felizes em retomar as apresentações presenciais e alcançamos nossa maior programação, que seguirá até o início do ano que vem, cumprindo os nossos objetivos de promover o intercâmbio musical entre artistas da região e os de destaque nacional, a formação de plateia e a oportunidade dos moradores das palafitas de terem acesso à música, à cultura e à cidadania”, ressalta o presidente do Arte no Dique, José Virgílio Leal de Figueiredo.

Homenagem ao Olodum 
No dia 25 ainda será feita uma homenagem ao Olodum, representado pelo músico Gilmário Marques, que virá de Salvador para receber o Troféu Bahia – Moraes Moreira Eterno.

“A influência do Olodum foi fundamental na criação do Arte no Dique e segue até hoje, já que a percussão continua nosso carro-chefe e formou, nessas duas décadas, centenas de jovens músicos”, destaca o presidente da ONG.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Pior dor do mundo! Entenda mais sobre a Neuralgia do Trigêmeo

A doença provoca dores tão fortes que diversos pacientes pensam em eutanásia

Diário Mais

Detran confirma que pão de forma pode alterar teste de bafômetro ; VEJA VÍDEO

Assunto gerou polêmica nas redes sociais e levantou diversas dúvidas

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter