Equipe da Associação Comercial debaterá desenvolvimento do setor de petróleo e gás

Coordenadoria da Câmara de Petróleo e Gás da Associação Comercial de Santos (ACS) pretende promover um webinário

Comentar
Compartilhar
12 AGO 2020Por Da Reportagem09h45
Há dois meses, os integrantes da Câmara perceberam que é preciso criar pontes entre essas empresas e os órgãos governamentais para defender os interesses offshore na cidadeFoto: AGÊNCIA BRASIL

A coordenadoria da Câmara de Petróleo e Gás da Associação Comercial de Santos (ACS), após realizar reuniões com várias empresas do setor,  pretende promover um webinário para mostrar o potencial de operação offshore na Baixada Santista.

Há dois meses, os integrantes da Câmara perceberam que é preciso criar pontes entre essas empresas e os órgãos governamentais para defender os interesses offshore na cidade.  Para o coordenador da Câmara, Gustavo Pierotti, as duas últimas semanas tiveram reuniões proveitosas e produtivas com  vários players.

"Chegamos a conclusão que precisamos transformar a Associação Comercial de Santos  em um escritório de Desenvolvimento de Petróleo e Gás na Baixada Santista, e , por consequência, no Estado de São Paulo".

Pierotti explica que o grupo de trabalho da Câmara percebeu que algumas empresas tiveram interesse em operar por aqui, mas não encontraram  suporte necessário e acabaram desistindo.

“Para termos embasamento e pessoas capacitadas no setor, o start para instalar um escritório na ACS será a realização da conferência online  que contará com a presença de oil majors, representantes do governo e representantes da ANP, além de outros”.

O assessor-executivo da Subsecretaria de Infraestrutura do Governo de São Paulo, Ricardo Cantarani, e o presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade – Invest SP, Wilson Mello, participaram na manhã desta terça-feira (11), da  videoconferência realizada pela Câmara.

"Eles são dois aliados estratégicos e importantes para os objetivos da Câmara de Petróleo e Gás e ter o apoio deles é fundamental para  regulamentar a operação offshore na região”, conta Pierotti.