Em Santos, Secretaria de Cultura entrega fachadas recuperadas do Museu do Café

O restauro faz parte da programação dos 99 anos do edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, em Santos; evento contou com participação do secretário Sérgio Sá Leitão e do prefeito Rogério Santos

Comentar
Compartilhar
14 SET 2021Por Da Reportagem14h05
Museu do Café, em Santos, passou por restauração de sua fachadaMuseu do Café, em Santos, passou por restauração de sua fachadaFoto: Barbara Perez / Governo do Estado de São Paulo

Ainda em comemoração aos 99 anos do edifício da antiga Bolsa Oficial de Café, celebrado em 7 de setembro, o Museu do Café - da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo - realizou uma cerimônia especial de entrega da fachada após a conclusão das obras de conservação e manutenção que tiveram início há um ano. O evento aconteceu na manhã desta terça-feira (14) e contou ainda com a inauguração do novo auditório da instituição.

O secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, visitou o Palácio do Café para conhecer as instalações e exposições atualmente em cartaz no Museu. Em seu percurso, passou também pelo auditório, uma novidade que agregará ainda mais valor ao patrimônio, ampliando o leque das programações culturais e possibilitando o crescimento da captação de recursos por meio de locações.

"Estamos devolvendo a gloria original para este museu que é tão importante para a história do Brasil", afirmou o secretário durante o evento.

Para marcar o momento, o coral do Grupo Tirolli apresentou um musical na varanda do prédio, um dos muitos locais contemplados nas intervenções.

AS OBRAS.
Os serviços de recuperação foram aprovados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) e Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa) - órgãos pelos quais o edifício é protegido. O investimento total foi de R? 2.868.690,23, com recursos provenientes do Ministério Público do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

As intervenções ocorreram por meio da empresa Estúdio Sarasá Conservação e Restauração, selecionada por meio de chamamento público, e contemplaram todas as fachadas do edifício (Ruas XV de Novembro, Frei Gaspar e Tuiuti), além da Torre do Relógio.