X

Santos

Em dia especial, associação de equoterapia abre as portas e mostra trabalho para comunidade santista

A Equoterapia existe para abraçar todas as crianças com deficiências físicas e necessidades especiais

Da Reportagem

Publicado em 09/08/2022 às 21:29

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Equoterapia / CARLOS NOGUEIRA

Apresentações para demonstrar todo o trabalho terapêutico com cavalos para auxiliar pessoas com deficiência e necessidades especiais foram realizadas na Associação Equoterapia Santos em comemoração ao Dia Nacional e Municipal da Equoterapia, celebrado nesta terça-feira (9). O objetivo é que a sociedade conheça um pouco mais do atendimento realizado na instituição, que fica na Avenida Francisco Manoel s/nº, no Jabaquara.

"A Equoterapia existe para abraçar todas as nossas crianças com deficiências físicas e necessidades especiais. E, neste dia, é importante mostrar para toda a população, para que conheçam esse trabalho, que é de amor, acolhimento e solidariedade", diz a presidente da Associação Equoterapia, Graça Silva.  

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O sorriso estampado no rosto é a prova do quanto Ryan se sente feliz na Equoterapia. Durante sua apresentação, que durou cerca de 20 minutos, ele nem se importou com a plateia que acompanhava cada movimento dele - pais, autoridades, representantes da diretoria e convidados - e curtia a cada instante. 

O jovem tem 13 anos e, desde os 8, realiza a atividade. Neste período, o contato com os animais promoveu benefícios físicos e psicológicos. A postura e os movimentos mudaram completamente, por exemplo, como conta a mãe dele, a técnica em radiologia Claudia Michele Pereira Ramos. 

"Ele tem paralisia cerebral e evoluiu muito. Não controlava a cabeça. Depois da Equoterapia, ganhou muita autonomia na parte de controle de tronco. E o Ryan gosta de cuidar do cavalo, de poder alimentar o animal. Fica muito feliz". 

Até para a socialização do adolecente, as horas passadas no programa têm ajudado, acrescenta Claudia. "Antes eu tinha que estar ao lado dele para tudo, porque senão ele chorava. Agora já consigo que o Ryan vá na perua escolar sozinho. Meu sonho é que ele seja o mais independente possível, só tenho gratidão por esse trabalho".

Depois de Ryan, foi a vez da estudante Milena Russo, 16 anos, demonstrar tudo o que tem aprendido na instituição. Ela frequenta a associação há seis meses. Com transtorno de ansiedade, a adolescente também percebe grandes progressos desde que começou a ter contato com cavalos. 

A jovem explica que hoje já consegue executar, com bastante tranquilidade, os movimentos indicados durante o tratamento e assim aprende a reproduzir essa atitude no seu dia a dia. 

"Meu pai estava preocupado comigo porque estava com problemas de ansiedade. Daí conseguimos a vaga e estou aqui. Me sinto muito bem. Antes, não sabia lidar com as minhas emoções e com as pessoas. Às vezes, entrava em pânico, vomitava muito. Agora é diferente, porque, o mesmo controle que preciso ter para lidar com o cavalo, necessito ter comigo".

O secretário de Saúde de Santos, Adriano Catapreta, representou o prefeito Rogério Santos no evento e destacou a importância do método terapêutico para os pacientes e seus familiares.

"A Equoterapia traz muita qualidade para a população, porque não trata somente o paciente, mas toda a família. O pai ou a mãe tem suporte para também poder cuidar melhor com essa criança ou adolescente".

DETALHES

Atuam na instituição 21 funcionários e 12 voluntários. São dez cavalos disponíveis para a reabilitação feita gratuitamente. Na Associação Equoterapia, que existe há mais de 20 anos, a maior parte dos atendimentos é destinada a autistas, pessoas com síndrome de Down e paralisia cerebral. São crianças e adolescentes de 3 a 18 anos. Mas há cotas para pessoas acima desta idade.

"Um dos principais objetivos é que eles se tornem mais independentes e sejam inseridos na sociedade ou no mercado de trabalho. Hoje, a maior parte dos nossos praticantes é autista e a maior dificuldade deles é interagir com o meio. Então a gente trabalha muito também a interação social", informa a coordenadora da Associação Mayumi Kano.

ATENDIMENTO

A Equoterapia funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30. Interessados em se inscrever na lista de espera podem ligar para o telefone (13) 3221-7706 ou (13) 3221-7150. A Equoterapia atende pessoas com qualquer tipo de deficiência que não impeça a montaria.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Mau presságio? Branqueamento de corais pode ser sinal da morte dos oceanos; entenda

Estruturas são a base do Oceano

Nacional

Não perca as contas: você sabe quantas vezes o cantor Fábio Jr. se casou?

A lista é bem extensa e pode confundir os fãs

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter