Ecofábrica Criativa de Santos vence prêmio

A Ecofábrica concorreu com 220 inscritos na sétima edição do prêmio, que reconhece, a cada dois anos, o melhor da produção artesanal contemporânea e do design brasileiros

Comentar
Compartilhar
29 NOV 2020Por Da Reportagem18h20
Instalada desde junho de 2016 dentro do Mercado Municipal, na Vila Nova, a Ecofábrica é uma oportunidade de capacitação para o mercado de trabalhoFoto: Divulgação / Prefeitura Municipal de Santos

A Ecofábrica Criativa, projeto realizado pela Prefeitura em parceria com o Club Design, venceu mais um prêmio. Nesta sexta (27), o projeto Encontros Criativos foi o vencedor da categoria Ação Socioambiental do 7º Prêmio Objeto Brasileiro, promovido pela CASA – museu do objeto brasileiro.

A Ecofábrica concorreu com 220 inscritos na sétima edição do prêmio, que reconhece, a cada dois anos, o melhor da produção artesanal contemporânea e do design brasileiros. Os ganhadores recebem uma bonificação e participam da exposição comemorativa, auxiliando na divulgação de novos e consagrados artesãos, designers, cooperativas ou comunidades de artesanato.

Instalada desde junho de 2016 dentro do Mercado Municipal, na Vila Nova, a Ecofábrica é uma oportunidade de capacitação para o mercado de trabalho, desenvolvimento de talentos, geração de renda e qualidade de vida. Nos cursos, coordenados pelo Fundo Social de Solidariedade (FSS), os alunos aprendem a confeccionar peças para mobiliário urbano - placas, cavaletes, bancos e floreiras -, além de objetos de decoração. Nas aulas, são reaproveitadas madeiras recolhidas pelo Cata Treco.

O curso é dividido em dois módulos. O primeiro, para formação de aprendizes, com duração de três meses. O segundo, de nove meses, para capacitação profissional em marcenaria. Também são parceiras do projeto as secretarias de Serviços Públicos (Seserp), Meio Ambiente (Semam) e de Comunicação (Secom).

A Ecofábrica já havia vencido o prêmio internacional de arquitetura IF Social Impact Prize em 2017, considerado o Oscar do design. A cada ano são formados 80 alunos e reutilizadas 3 toneladas de madeira que iriam ao aterro sanitário. Atualmente, as aulas e inscrições estão suspensas em virtude da pandemia de covid-19. A previsão é retomar em 2021.