Covid: Baixada tem recorde de mortes e cidades superam grandes metrópoles em óbitos

Além do inédito número de mortes pela patologia, a Baixada Santista também somou mais de 800 pessoas confirmadas como contaminadas pelo vírus

Comentar
Compartilhar
13 AGO 2020Por LG Rodrigues13h30
Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Folhapress

Os boletins epidemiológicos das nove cidades da Baixada Santista demonstraram que a Região teve ao menos 34 mortes de pacientes que contraíram o novo coronavírus no período de 24 horas. Os dados já podiam ser observados nos portais das próprias prefeituras nesta quarta-feira (12) e demonstram um recorde de óbitos que ainda não havia sido registrado nos municípios caiçaras.

Além do elevado e até então inédito número de mortes pela patologia que já vitimou mais de 750 mil pessoas em todo o planeta, a Baixada Santista também somou mais de 800 pessoas confirmadas como contaminadas pelo vírus. As estatísticas divulgadas diariamente pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo também demonstram que o município de Santos já possui 4 mil casos a mais do que Guarulhos, que tem uma população três vezes maior que à da cidade caiçara.

A maior cidade da Baixada Santista, que possui atualmente aproximadamente 420 mil moradores em sua extensão geográfica, também tem índice de óbitos maiores do que outras cidades muito mais populosas. Com 517 falecimentos devido ao vírus, Santos supera Ribeirão Preto (460), Santo André (443) e até mesmo Mogi das Cruzes (271), que possui quase metade dos números registrados aqui.

OUTROS MUNICÍPIOS.
Se as cidades vizinhas a Santos não figuravam nem entre os municípios que apareciam nas relações de estatísticas do Governo do Estado de São Paulo durante os dois primeiros meses de pandemia, a situação não é a mesma durante esta primeira quinzena de agosto. São Vicente, que já perdeu 324 moradores para o coronavírus, tem mais mortes do que São José do Rio Preto (312) e Sorocaba (293), que tem mais de 600 mil munícipes.

Guarujá, que atualizou seus dados nesta quarta-feira com 298 perdas de vidas, também se encontra à frente de Barueri (291) um dos maiores epicentros atualmente da pandemia dentro do Estado de São Paulo, e Piracicaba (233), que tem quase 300 mil moradores. Os municípios da Baixada Santista, entretanto, têm taxas de mortalidade mais baixas que a maioria das outras cidades, o que pode ser atribuído à melhor infraestrutura na área da saúde quando comparado com outras regiões do Estado.

Atualmente, a taxa de letalidade (relação entre números de casos confirmados, pacientes recuperados e falecimentos) pelo coronavírus em Santos está registrada com 2,9%. Enquanto isso, São Vicente possui um dado maior, 6,3%, e Guarujá calcula 4,0%. Praia Grande (3,0%), Cubatão (3,3%), Peruíbe (4,4%) e Mongaguá (3,5%) também aparecem na relação da Secretaria de Saúde de São Paulo.