Covid: Após fim de semana de praias cheias, Baixada se aproxima de 50 mil infectados

Ao todo, cidades caiçaras já somam 36.932 pacientes recuperados, mas acumula 1.770 mortes

Comentar
Compartilhar
31 AGO 2020Por Da Reportagem09h10
Casos de coronavírus se aproximam de 50 mil na Baixada SantistaFoto: AGÊNCIA BRASIL

Após um fim de semana em que vários moradores registraram fotos e vídeos ao menos das praias de Santos, Guarujá, Praia Grande e São Vicente cheias de banhistas, a Baixada Santista se despede de agosto e dá início a setembro em meio a apenas uma única certeza neste mês que começa: as nove cidades caiçaras deverão alcançar a marca de 50 mil casos confirmados de coronavírus antes mesmo da primeira quinzena se encerrar.

Em algumas imagens postadas por internautas entre sábado (29) e domingo (30), é possível ver que uma parcela minúscula das pessoas que foram às praias decidiram, de fato, aderir às máscaras de proteção. O movimento elevado nas praias de Santos acompanhou a volta ao trabalho dos vendedores ambulantes na faixa de areia. Mesmo sem este fator, entretanto, outras cidades do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro também receberam grande procura devido ao calor e temperaturas elevadas durante os dois dias.

Enquanto essa parcela da população decide quebrar o isolamento social, que vai diminuindo, os números da Covid-19, por outro lado, permanecem subindo, mesmo que em velocidade menor à aquela comparada entre junho e julho. Até este domingo, as nove secretarias de saúde da Baixada Santista somavam 48.979 casos confirmados. Destes, as cidades contabilizam 36.932 pacientes recuperados.

Já o número de óbitos atingiu a marca de 1.770, mas estes números podem sofrer aumento, uma vez que Praia Grande, Mongaguá e Itanhaém possuem dados atualizados apenas até o último sábado. O alto movimento nas praias pode levar e um novo aumento no número de casos da doença e afetar o comércio de toda a Baixada Santista, uma vez que, dentro do Plano SP estipulado pelo Governo do Estado, a Baixada Santista chegou à Zona Amarela após permanecer mais de 15 dias na Zona Vermelha e outros 30 na laranja.

O avanço dentro do plano foi celebrado pelos prefeitos da Região, que decidiram fazer novas concessões, como a liberação da faixa de areia para práticas de esportes individuais e o retorno das atividades comerciais à beira-mar.