X
Santos

Covid-19: quase 500 moradores da Baixada Santista teriam tomado vacina vencida

Ao todo, 460 pessoas da Região teriam tomado imunizantes cujas datas de validade já estavam vencidas

Informação preocupou brasileiros de todo o País / ISABELA CARRARI/PMS

Quase 500 pessoas que moram na Baixada Santista teriam tomado vacinas contra Covid-19 vencidas. A informação foi revelada por reportagem do jornal Folha de São Paulo nesta sexta-feira (2) e é acompanhada por dados de oito lotes que seriam dos imunizantes que passaram da data de validade. Todos são da vacina Oxford/Astrazeneca.

De acordo com o veículo de comunicação, ao menos 26 mil doses vencidas da vacina Astrazeneca foram aplicadas até o mês de junho, segundo dados do próprio Ministério da Saúde. O município que mais aplicou imunizantes com a data vencida é Maringá, no Paraná: 3.536 pessoas. No site da Folha de São Paulo é possível verificar quantas pessoas se vacinaram com a substância vencida e onde foi efetuada a aplicação. Os lotes vencidos são aqueles que apontam as seguintes inscrições: 4120Z001; 4120Z004; 4120Z005; CTMAV501; CTMAV505; CTMAV506; CTMAV520 e 4120Z025.

Em Santos, um total de 358 doses vencidas teriam sido aplicadas. 298 no Hospital dos Estivadores, 12 no Hospital Vitória, 11 na Policlínica da Vila Mathias, 10 na Policlínica da Pompeia / José Menino, 3 na Policlínica do Rádio Clube, 3 na Policlínica do Gonzaga, 2 na Policlínica da Ponta da Praia, 2 na Policlínica da Conselheiro Nébias, 2 na Policlínica do Morro do São Bento, 2  na Policlínica e Pronto Atendimento do Morro Nova Cintra, 2 na Policlínica da Areia Branca, 2 na Policlínica do Piratininga e 2 na Policlínica do Monte Cabrão. Santa Casa de Santos, Policlínica do Marapé, Policlínica do Embaré, Policlínica do São Manoel, Policlínica da Vila São Jorge e Caneleira, Unidade de Saúde da Família do Bom Retiro e Policlínica da Ilha Diana tiveram um caso cada.

Guarujá foi responsável por aplicar 42 doses de vacina vencidas, todas elas, segundo os dados da Folha de São Paulo, foram aplicadas na Usafa Jardim dos Pássaros. Na sequência, São Vicente aparece com 16 vacinas vencidas e a relação do jornal aponta que elas estavam em: Central Municipal de Rede de Frio São Vicente (5), Unidade Básica de Saúde Praça Vitória São Vicente (2), Unidade Básica De Saúde Náutica III São Vicente (2), ESF Sá Catarina São Vicente, Unidade Básica De Saúde Ponte Nova São Vicente, Unidade Básica de Saúde Pompeba São Vicente, Centro Médico Martim Afonso São Vicente, Hospital Municipal de São Vicente, Unidade Básica de Saúde Sambaiatuba São Vicente e Unidade Básica de Saúde Parque São Vicente.

Todas as 14 vacinas vencidas de Itanhaém saíram da Central de Rede de Frio da cidade. Em Cubatão, foram 13 vacinas vencidas, 9 no Pronto Socorro Infantil de Cubatão na Enfermaria Joaquim Nogueira, 2 no Centro de Saúde Comunitário do Jardim Nova República e outras 2 no Centro de Saúde Comunitário Vila Nova Juvênio Pereira de Souza (UBS Vila Nova). Ao todo, Peruíbe aplicou 12 vacinas vencidas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h de Peruíbe.

Em Praia Grande, três vacinas vencidas foram aplicadas, todas estão sob registro da Vigilância Epidemiológica. Fechando a lista, 2 vacinas vencidas foram administradas em pacientes da Unidade de Saúde da Família Florida Mirim Mongaguá. Bertioga não aplicou nenhuma dose vencida.

De acordo com dados do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, quem recebeu uma dose de um imunizante que esteja fora da validade deve se 'revacinar' ao menos 28 dias após ter recebido a dose aplicada erroneamente.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Brasil fechará fronteiras aéreas para seis países da África, diz Casa Civil

Governo brasileiro decidiu seguir a orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vai restringir voos de países africanos com surto da cepa Omicron

Guarujá

Câmara Temática de Segurança se reúne para discutir projetos metropolitanos

Encontro reúne autoridades dos nove municípios que compõem a Região Metropolitana da Baixada Santista, com o objetivo implementar ações de interesse regional voltadas à segurança pública

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software