Coral dos Servidores precisa de vozes masculinas

Os interessados - servidores da Prefeitura e de órgãos da administração indireta, podem ir até a sede do Cais Milton Teixeira para uma aula experimental

Comentar
Compartilhar
20 MAR 2018Por Da Reportagem13h46
Coral dos Servidores precisa de vozes masculinasFoto: Raimundo Rosa/PMS

Gabriel Cecimiro, 21 anos, está no Coral dos Servidores Públicos de Santos desde sua criação, em 2013. Trabalhando no setor de transporte, é convidado especial no grupo devido à falta de vozes masculinas para complementar o coro, mas se interessou tanto pela música que hoje sonha em ser cantor de ópera: "A vontade já existia em mim, mas o coral deixou tudo mais claro". Hoje, divide seu tempo entre o trabalho, o coral e o estudo de canto lírico pela Escola Municipal de Música em São Paulo.

Conta, com orgulho, que o coro santista foi convidado para se apresentar no 35º Encontro Internacional de Seresteiros de Conservatória, cidade do interior do Rio de Janeiro, em agosto de 2017.

Apesar do sucesso, a falta de vozes mais grossas atrapalha no arranjo "As composições que escolhemos são compostas por quatro vozes, mas sempre temos somente três. Atrapalha, mas damos uma improvisada", explica

Uma das apresentações mais tradicionais do coral é a realizada para a Semana do Servidor, em outubro. No próximo dia 19, o grupo se apresentará com o Coral Municipal, no lançamento do Espaço Cultural Maestro Gilberto Mendes.

Criado pelo Programa de Promoção à Saúde e Qualidade de Vida do Servidor Municipal (ComViver), numa parceria entre as secretarias de Gestão e Cultura, o Coral dos Servidores conta 21 vozes fixas, sendo apenas seis masculinas, que ensaiam semanalmente, sob a regência da maestrina Meire Berti da Fonseca.

Os interessados - servidores da Prefeitura e de órgãos da administração indireta,  podem ir até a sede do Cais Milton Teixeira (Avenida Rangel Pestana, 184, Vila Matias) para uma aula experimental. Os ensaios ocorrem às segundas-feiras, das 17h às 19h.