Santos

Com carinho especial, bicho-preguiça se recupera de grave acidente no Orquidário de Santos

No último dia 16 de julho, ela foi vítima de uma descarga elétrica, nas imediações da Serra do Guararu, em Guarujá

Da Reportagem

Publicado em 09/08/2022 às 15:00

Compartilhe:

Com carinho especial, bicho-preguiça se recupera de grave acidente no Orquidário de Santos / Foto: Carlos Nogueira

Ao observar Victória, uma bicho-preguiça dócil, agarrada num pedaço de galho e comendo suas frutas favoritas no Orquidário de Santos, é impossível imaginar por quantos apuros o animal de apenas dois anos (considerado um adulto jovem para a espécie) passou nos últimos dias.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

No último dia 16 de julho, ela foi vítima de uma grave descarga elétrica, nas imediações da Serra do Guararu (Guarujá). Provavelmente em busca de comida, o animal se aventurou por trechos urbanos e acabou sofrendo um acidente nas fiações elétricas locais.

De acordo com levantamento recente da ONG SOS Mata Atlântica, cerca de 65% da Baixada Santista é composta por áreas de Mata Atlântica preservada e, infelizmente, a expansão urbana desenfreada acaba resultando em acidentes como o sofrido pela bicho-preguiça Vitória.

ORQUIDÁRIO
Após sofrer o grave acidente, começou uma verdadeira luta contra o tempo para salvar a vida do animal. Os moradores locais pediram apoio da Guarda Municipal do Guarujá, que realizou o transporte do animal para o Orquidário de Santos, tido como referência no tratamento e readaptação de animais silvestres que sofrem acidentes.

No espaço, Victória recebeu os primeiros atendimentos da equipe veterinária do parque e, no dia seguinte, foi operada pelo médico veterinário José H. Fontenelle. Segundo ele conta, o braço esquerdo do animal sofreu graves queimaduras e estava em parte carbonizado pelo choque.

Por conta disso, foi necessária a amputação do membro. "A descarga elétrica também ocasionou lesões internas e na pele, mas sem risco de perder outros membros", disse Fontenelle, que explica que atualmente a maior preocupação é com uma lesão grande que ela possui na barriga.

TRATAMENTO VIP E CARINHO
O tratamento da Victória é repleto de cuidados especiais e carinho de todos os envolvidos, em uma rotina complexa, que dura quase o dia inteiro e conta com o apoio de todos os colaboradores do Orquidário.

Um veterinário é o responsável pelo tratamento a laser e outro pela ozonioterapia. Além disso, toda equipe se reveza para fazer as duas trocas de curativo diárias, procurar as folhas e frutos de embaúba no parque e auxiliar o animal na alimentação.

É justamente essa luta pela alimentação o maior desafio da equipe. Victória tem uma predileção pelas folhas e frutos de embaúba. O problema é que sua comida favorita fica numa altura que varia entre 2 e 6 metros de altura. Para realizar a missão, em busca do precioso alimento, um funcionário do parque improvisou uma corda para laçar folhas e frutas.

E todo esse carinho é sempre recompensado. "Quem tem uma embaúba na mão tem o amor dela" conta a auxiliar veterinária Paula Lemos, que relata ainda o fato de estarem sempre limpando as feridas e dando atenção, como preponderantes para acabarem ficando muito próximos dela.

Já a estagiária Stephanie Kuhlmann vai mais além e conta ter se apegado bastante a Victória. "Ela é como se fosse uma filha", conta aos risos. Esse apego se deu porque era ela quem estava de plantão quando o animal chegou ao Orquidário, ainda necessitando de muitos cuidados. Por conta disso, ela esteve presente em todo o procedimento cirúrgico e agora ajuda nos cuidados de recuperação.

FUTURO
O procedimento padrão quando lidam com animais silvestres no Orquidário é recuperar o animal o mais rápido possível e tentar, com o apoio dos órgãos ambientais, fazer a devolução dele para a natureza.

No entanto, com Victória, isso se tornou um grande desafio, devido às lesões sofridas e por ser um animal muito difícil de viver em cativeiro. "A expectativa é de ficar aqui mesmo no Orquidário, pois, infelizmente, ela não tem autonomia e, aparentemente, será muito difícil ter condições de ser devolvida para natureza", explica Fontenelle.

Apesar disso, com toda a luta pela sobrevivência, e carinho dos envolvidos no tratamento, Victória conseguiu encantar os funcionários do parque e, quem sabe, dentro de alguns meses, seja mais um morador de Santos, vivendo entre as tão amadas embaúbas do Orquidário.

OUTROS ANIMAIS
O Orquidário realiza atendimento de animais silvestres resgatados na região e encaminhados ao parque pela Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente (Sima) ou pela Policia Ambiental, órgãos responsáveis pela gestão da fauna.

Quem encontrar um animal silvestre machucado deve entrar em contato com a Polícia Ambiental pelo telefone (11) 5085-2100, para que ela faça a captura e encaminhe para um lugar de atendimento.

Uma vez no parque, é realizada uma avaliação clínica do animal pela equipe veterinária para diagnóstico de doenças ou traumas. Definido o tipo de tratamento mais adequado, tem início o processo de recuperação física.  Após o término dessa etapa, a equipe faz uma segunda avaliação para verificar quais são os animais aptos para soltura, que é autorizada pela Sima, em área previamente escolhida.

Atualmente, o parque está atendendo ainda dois saguis, um gavião e uma coruja, todos resgatados na fauna local e que foram encaminhados para tratamento.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Homem é preso com entorpecentes em Mongaguá

Ocorrência faz parte de uma série de operações que visa atrapalhar o andamento do comércio de drogas

Cotidiano

Anchieta e Cônego Domênico Rangoni têm lentidão; veja sentidos e pontos

Motorista vai precisar sair mais cedo de casa para chegar ao seu destino no tempo certo

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter