Casa da Frontaria Azulejada reabre com três novas exposições

A exposição 'Casa da Frontaria Azulejada' mostra a história deste importante patrimônio municipal e nacional desde a sua construção

Comentar
Compartilhar
20 JAN 2021Por Da Reportagem08h00
A Casa da Frontaria Azulejada foi construída em 1865 para servir de residência e armazém ao comendador português Manoel Joaquim Ferreira NettoFoto: Divulgação

A Casa da Frontaria Azulejada será reaberta à visitação nesta sexta-feira (22), com a apresentação de três novas exposições realizadas pela Fundação Arquivo e Memória de Santos (Fams).

A exposição 'Casa da Frontaria Azulejada' mostra a história deste importante patrimônio municipal e nacional desde a construção, passando por aspectos arquitetônicos, usos dados à edificação, degradação e recuperação estrutural, destacando também sua relevância nos dias atuais como um importante espaço cultural da Cidade. 

Outras duas exposições estarão abertas à visitação na Sala Serafim Gonzalez. Uma delas é a 'Ponta da Praia' que conta a história do bairro desde a fundação, no século 16, do Porto da Capitania de São Vicente no canal do Estuário, passando também pela criação dos clubes náuticos, Mercado de Peixes e Aquário.  A outra, no mesmo espaço, é a 'Entrada de Santos', destacando os diferentes meios de transporte utilizados com o passar dos anos, bem como a instalação da escultura do "Peixe", e o grande empreendimento viário de melhoria dos acessos concluído em 2020.

 

REFORMA E PROTOCOLOS

A reforma do telhado e madeiramento interno, reposição de azulejos, pintura externa e revisão elétrica foram finalizadas e o espaço está apto a receber visitação, voltando a abrigar pequenos eventos como as já tradicionais exposições e feiras de produções locais e outras atividades relacionadas à economia criativa, além de festivais culturais.

A Casa da Frontaria Azulejada fica na Rua do Comércio, 96, Centro Histórico, e permanecerá aberta à visitação todos os dias da semana, das 10h às 17h. Os protocolos de segurança relacionados à covid-19 serão observados, como uso obrigatório de máscara, disponibilidade de álcool em gel 70% e monitoramento de temperatura corporal.

 

HISTÓRIA

A Casa da Frontaria Azulejada foi construída em 1865 para servir de residência e armazém ao comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto.  Foi construída como um sobrado em estilo neoclássico e, posteriormente, utilizada como escritório, hotel, armazém de cargas e depósito de adubos químicos, sendo tombado em 1973 pela Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A Prefeitura de Santos desapropriou o imóvel em 1986, já com a estrutura modificada e restaurou toda a fachada em 1992. Durante os anos de 1996 a 2005 o local abrigou o Arquivo Permanente da Fams e, somente no ano de 2007, se transformou oficialmente no Espaço Cultural Frontaria Azulejada. O local já é bem conhecido dos santistas por receber eventos culturais. Em anexo, desde 2012, funciona a sala Serafim Gonzalez, destinada a pequenas exposições, palestras e cursos.