Crime

Carro de chefe da Polícia Civil é fuzilado e encontrado em Cubatão

O veículo estava no bairro Largo do Sapo; o corpo da vítima foi identificado com mais de 30 marcas de tiros em Santos, em agosto deste ano

Da Reportagem

Publicado em 28/09/2022 às 09:47

Atualizado em 28/09/2022 às 10:28

Compartilhe:

O corpo de Marcelo Gonçalves Cassola, de 49 anos, foi encontrado no dia 22 de agosto, no bairro Caneleira, em Santos / Reprodução

O carro do chefe do setor de identificação da Polícia Civil, Marcelo Gonçalves Cassola, foi encontrado abandonado e com a chave ainda no contato, em Cubatão. O corpo da vítima foi identificado com mais de 30 marcas de tiros em Santos, em agosto deste ano.

Conforme consta no Boletim de Ocorrência, registrado na Delegacia de Polícia de Cubatão, divulgado nesta terça-feira (27), uma equipe da Polícia Militar foi alertada por um munícipe sobre um carro estacionado em via pública "há dias". O veículo estava no bairro Largo do Sapo.

Os agentes pesquisaram sobre o automóvel abandonado e descobriram que ele pertencia a Marcelo Gonçalves Cassola. O veículo foi recolhido por um guincho ao pátio da Delegacia de Polícia de Cubatão, após orientação da Delegacia de Homicídios de Santos.

Marcelo Cassola
O corpo de Marcelo Gonçalves Cassola, de 49 anos, foi encontrado no dia 22 de agosto, no bairro Caneleira, em Santos, por volta das 21h30. Na época, a polícia afirmou que a vítima teria sido atingida com ao menos 30 tiros, sendo alguns de fuzil e outros de arma 9 mm.

Ele era diretor do Sindicato dos Policiais Civis da Baixada Santista e chefe do setor de identificação do Palácio da Polícia. O setor é responsável, entre outras coisas, pelo Registro da Carteira de Identidade e por emitir atestado de antecedentes criminais.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Padaria inova com pão de maçã e conquista o público no Litoral de SP

Estabelecimento oferece, há 37 anos, pães diferenciados, bolos, doces e uma gastronomia afetiva aos clientes

LITORAL SUL DO RIO

Paraty ficou 'embaixo d'água' neste domingo, mas isso é normal

Em certas épocas do ano a maré alta acontece, e a cidade está preparada para o fenômeno; entenda a maré alta de Paraty

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter