Biometria nos ônibus já detecta uso irregular de cartão escolar e de deficiente

O balanço da Viação Piracicabana, mostra que, entre 30 de julho e quarta-feira (18), o sistema de reconhecimento facial fez 92.757 verificações de cartão escolar

Comentar
Compartilhar
17 AGO 2018Por Da Reportagem17h45
O balanço da Viação Piracicabana, mostra que, entre 30 de julho e quarta-feira (18), o sistema de reconhecimento facial fez 92.757 verificações de cartão escolarO balanço da Viação Piracicabana, mostra que, entre 30 de julho e quarta-feira (18), o sistema de reconhecimento facial fez 92.757 verificações de cartão escolarFoto: Raimundo Rosa/PMS

Em quinze dias de funcionamento do sistema de reconhecimento facial nas linhas municipais de transporte coletivo, foram confirmados 1.783 casos de irregularidades no uso da carteirinha de estudante (assegura ao titular desconto de 50% sobre a tarifa) e outras 22 referentes ao cartão de pessoas deficientes (têm isenção total no valor da passagem).

O balanço da Viação Piracicabana, permissionária do serviço municipal, mostra que, entre 30 de julho e quarta-feira (18), o sistema de reconhecimento facial fez 92.757 verificações de cartão escolar. As que apresentaram divergências entre as imagens do usuário captadas no ato da passagem pela catraca e aquelas arquivadas na central de processamento de dados da empresa foram enviadas para auditoria. Do total, 1.783 casos foram confirmados como irregulares. Os titulares dessas carteirinhas estão sendo chamados para assinar advertência pela irregularidade (uso por outra pessoa que não o titular do cartão). Há, ainda, 14.831 casos em processo de análise.

Em relação a passageiros com necessidades especiais, houve 41.211 verificações pelo sistema de biometria e, além das 22 já comprovadamente irregulares, outras 7.441 ainda estão sob auditoria.

ADVERTÊNCIA

Nos casos com confirmação de fraude, o titular do cartão já está recebendo mensagem no validador do ônibus e também por e-mail para comparecer a uma das lojas da permissionária em um prazo de sete dias. No estabelecimento, o usuário deverá assinar advertência e também são reforçadas as informações sobre o uso do cartão, que é para uso exclusivo do titular beneficiado, ou seja, intransferível.

Se o cartão for novamente utilizado de forma indevida, será bloqueado. O mesmo ocorrerá se o titular não comparecer a uma das lojas para receber a advertência.