Baile funk na Zona Noroeste de Santos volta a tirar sossego da população; vídeo

Em plena pandemia, imagens mostram dezenas de pessoas aglomeradas e dançando ao som de música alta

Comentar
Compartilhar
08 MAR 2021Por Da Reportagem10h40
Baile funk realizado no bairro Jardim Castelo volta a tirar sossego da populaçãoBaile funk realizado no bairro Jardim Castelo volta a tirar sossego da populaçãoFoto: Reprodução / Facebook

O primeiro fim de semana de março foi marcado por mais um baile funk que tirou o sossegado de moradores do bairro Jardim Castelo e que voltou a levantar a questão da fiscalização contra aglomerações nas áreas de pereferia dentro do município de Santos.

Em imagens postadas no Facebook durante o domingo (7), uma moradora da região do Dale Coutinho, que fica no bairro Jardim Castelo, na Zona Noroeste de Santos, se queixou do barulho alto e publicou um vídeo que mostra a região que fica entre a intersecção das vias Rua Doutor Aniz Tranjan, Avenida Brigadeiro Faria Lima e Rua Ambrosina Amélia Caldeira Tolentino.

Nas imagens, é possível ver ao menos uma centena de pessoas circulando pelo trecho enquanto um aparelho de som toca funk alto por horas e vários homens e mulheres consomem bebidas apesar das medidas de restrição impostas pelos governos Municipal e Estadual. Nos comentários da postagem, algumas pessoas tentam enganar os internautas afirmando que as imagens são de um baile funk na Capital, enquanto outros dizem que o vídeo seria antigo. Apesar disso, entretanto, o Diário do Litoral verificou com moradores da Rua Ambrosina Amélia Caldeira Tolentino que o som realmente pôde ser ouvido de longe ao longo da madrugada de sábado para domingo e as imagens são realmente das três vias citadas anteriormente.

De acordo com moradores, os bailes têm se tornado frequentes a partir das quintas-feiras e se prolongam pelo menos até 6h em algumas ocasiões. Em nota enviada à página Viver em Santos, no Facebook, a Prefeitura de Santos explica que em situações de grandes aglomerações a Polícia Militar deve ser acionada pelo 190 e reafirma que a fiscalização do toque de restrição imposto pelo Governo do Estado, válido para o período das 20h às 5h, também é de competência da Polícia Militar, com apoio da Guarda Civil Municipal.

De acordo com a Administração Municipal, a GCM não foi acionada para a ocorrência do baile funk.