Atrações santistas marcam presença em documentário britânico

A gravação ocorreu na garagem dos bondes, ao lado da antiga estação do Valongo; o local abriga o Museu Vivo do Bonde

Comentar
Compartilhar
15 JAN 2021Por Da Reportagem09h15
O roteiro inclui um ‘tour’ pelo conjunto de três históricos carros ferroviários de passageiros que integram o acervoO roteiro inclui um ‘tour’ pelo conjunto de três históricos carros ferroviários de passageiros que integram o acervoFoto: Raimundo Rosa/PMS

A histórica ferrovia construída pela São Paulo Railway, construções como a antiga estação de trem do Valongo e outros registros da presença inglesa em Santos vão constar de documentário encomendado pelo Consulado Britânico para veiculação em suas redes sociais.

Na manhã desta quinta-feira (14), uma equipe da produtora responsável pela criação da peça esteve no bairro para captação de imagens e depoimento sobre a influência inglesa na Cidade. Quem falou sobre o tema foi o pesquisador Paulo Monteiro, responsável pelo Museu Pelé. Ele destacou a importância da ferrovia para o desenvolvimento econômico e social de Santos, do Estado e do Brasil. “Com a ligação ferroviária, o porto teve um grande impulso. As cargas, que eram transportadas em burros e mulas pela Serra do Mar, passaram a ser trazidas em trens. E os imigrantes que aqui chegavam já contratados para trabalhar, principalmente em lavouras, já seguiam viagem de trem, embarcando a partir do próprio porto. Muitas cidades surgiram às margens da ferrovia”.

CONSTRUÇÕES
Ao falar sobre construções locais com telhado no estilo inglês, mencionou os prédios do Educandário Anália Franco e da Estação do Valongo, inaugurada em 1867, com telhados com declive acentuado para escoamento de neve. E, ainda, o da Cia City (hoje sede da CET), também com características da construção britânica. Deu detalhes sobre o imóvel da estação e destacou que a edificação histórica preservada pelo Município abriga projeto social (Restaurante-Escola Estação Bistrô), a Secretaria de Empreendedorismo, Economia Criativa e Turismo (Sectur) e é local de partida da linha turística do bonde.

O pesquisador também recordou que, em determinada época, a Cia City, de origem inglesa, administrava os serviços de energia, água e de transporte da Cidade.

GRATIFICANTE
A gravação ocorreu na garagem dos bondes, ao lado da antiga estação do Valongo. O local abriga o Museu Vivo do Bonde e, entre os exemplares do acervo, a equipe viu um elétrico de origem escocesa. “É o mais antigo em circulação no País”, informou o engenheiro Marcos Rogério do Nascimento, coordenador da equipe especializada da CET-Santos responsável pelo restauro e manutenção dos bondes.

O roteiro inclui um ‘tour’ pelo conjunto de três históricos carros ferroviários de passageiros que integram o acervo. Os veículos são do início do Século XX, foram usados pelo São Paulo Railway, ficaram sob a posse do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e foram doados ao Município em 2018. O carro Administrativo, de 1913, transportava técnicos e engenheiros da empresa em viagens de inspeção; o Presidencial transportou ex-presidentes e o carro Buffet Pullman operou até 1947 em viagens regulares entre Santos e a Capital.

“Muito gratificante conhecer esse trabalho de preservação”, disse Patrícia Favareo, produtora da WTF Produção, responsável pelo documentário. Segundo ela, a peça terá duração de 15 a 20 minutos e será legendada para veiculação nos dois países, devendo ser lançada em fevereiro. Além da Capital e Santos, imagens e depoimentos serão colhidos também em Santo André, onde está localizada a Estação de Paranapiacaba.