X
Santos

Arte no Dique celebra 20 anos com programação no Teatro Municipal

A partir de 2 de junho programação contará com show de Armandinho Macedo, Yacóci Simões e Marco Lobo, exposição de fotos com curadoria de Nice Gonçalvez, exibições de filmes e homenagem ao ex-jogador do Santos e do Bahia Douglas Franklin

Arte no Dique celebra 20 anos com programação no Teatro Municipal / Foto: Divulgação

O Instituto Arte no Dique, criado em 28 de novembro de 2002, será homenageado pela Secretaria Municipal de Cultura de Santos em 2 de junho no Teatro Municipal Braz Cubas. A programação será multicultural. Na quinta-feira, 2 de junho, 19h30, acontecerá na Galeria do Teatro o lançamento da Exposição Arte no Dique 20 Anos, que reunirá 90 fotos que acompanham as duas décadas de atuação da instituição, com curadoria da fotógrafa Nice Gonçalvez. 

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.  


Na sequência, dentro do teatro, acontecerá cerimonial com homenagens, apresentação de abertura do Coletivo Querô, formado por alunos das oficinas de percussão do instituto e, em seguida, show de Armandinho Macedo, com participações especiais de Yacóci Simões (teclado) e Marco Lobo (percussão), que têm um histórico de parceria com a ONG, tendo se apresentado diversas vezes lá. A entrada para o show será mediante doação de um quilo de alimento não perecível, que poderá ser entregue e trocado pelo ingresso um dia antes, 1º de junho, na bilheteria do teatro, localizado à Av. Pinheiro Machado, 48, na Vila Mathias. 
Já no dia 3 de junho, uma sexta, acontecerão, no Museu da Imagem e do Som de Santos, no térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão (onde fica o teatro municipal), exibições de documentários sobre a história do Arte no Dique, com entrada franca. 

Inauguração de quadra de futsal
A comemoração continuará na sede do instituto, com a inauguração (data a ser confirmada) de uma quadra de futsal que levará o nome do ex-jogador Douglas Franklin, considerado por muitos o maior ídolo do Esporte Clube Bahia e que iniciou sua carreira no Santos Futebol Clube. "Douglas é meu maior ídolo no futebol e da minha geração. Iniciou a carreira no futebol como 'menino da vila' e, aos 17 anos, jogou ao lado de ninguém menos que Pelé", destaca José Virgílio Leal de Figueiredo, presidente do Arte no Dique.

Troféu Moraes Moreira Eterno 
Também será feito um troféu, batizado de Moraes Moreira Eterno, entregue a parceiros e pessoas fundamentais nesses vinte anos de Arte no Dique, e que levará as cores da bandeira do estado da Bahia. "Moraes é nosso padrinho, nos ajudou muito no início e durante nossa jornada. E somos eternamente gratos a esta terra que foi onde tudo começou, que me deu a régua e o compasso, e o Arte no Dique traz, em seu DNA, todos os conceitos que aprendi e desenvolvemos nos anos em que atuei no IPAC e na Fundação Cultural do Estado da Bahia. E a primeira oficina que realizamos no instituto foi a de percussão, que segue sendo nosso carro-chefe", ressalta José Virgílio. O Arte no Dique tem, entre seus padrinhos, Gilberto Gil e Moraes Moreira. Ambos já estiveram na organização social.

Celebrações continuarão 
Mas as celebrações não param por aí. O Instituto Arte no Dique realizará, ao longo do ano, shows presenciais, em sua sede, com nomes como Paulinho da Viola, Paulinho Moska, Davi Moraes, Os Gilsons, Bem Gil, entre outros, no Festival O Som das Palafitas, além do Arraial do Arte, Mostra Cultural da Primavera, Mostra Cultural Plínio Marcos, entre outras atividades e eventos. 

Sobre o Arte no Dique
28 de novembro de 2002. Nessa data foi lançada a pedra fundamental do Instituto Arte no Dique. Passados quase 20 anos, mais de 20 mil pessoas, em grande parte moradores do Dique da Vila Gilda, em Santos, frequentaram as oficinas da instituição, tiveram acesso à cultura e à arte. "Cultura como um todo", como costuma dizer o presidente da ONG, José Virgílio Leal de Figueiredo, já que o Arte no Dique trabalha, com seus colaboradores, alunos, frequentadores, parceiros, a questão da cidadania. Desde a entrega semanal de leite para a comunidade, até as oficinas de percussão (que deram início ao projeto), violão, dança, informática, customização, as exibições de filmes seguidas de debates, shows. Artistas de renome como Gilberto Gil, Moraes Moreira, Sergio Mamberti, Lecy Brandão, Wilson Simoninha, Hamilton de Holanda, Armandinho Macedo, Luiz Caldas, Geraldo Azevedo, Luciano Quirino, entre outros, já se apresentaram no espaço.

Diariamente, cerca de 600 pessoas participam do projeto, que tem a missão de oferecer oportunidade de transformação e desenvolvimento humano e social a crianças, adolescentes, jovens e adultos através da participação da comunidade em ações educativas, de geração de renda, meio-ambiente e valorização da cultura popular da região. O trabalho sério, que gerou importantes resultados inclusivos, levou a instituição a tornar-se referência em inclusão social, no Brasil e no exterior, sendo convidada diversas vezes festivais e congressos. Outras informações: www.artenodique.com.br.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

11 Estados e DF entram no STF contra teto de ICMS sobre combustíveis e energia

A ação ocorre depois de São Paulo e Goiás terem saído na frente reduzindo as alíquotas do ICMS

CORINTHIANS

Róger Guedes perde pênalti, e Corinthians decide vaga com Boca na Argentina

O Corinthians volta a campo no próximo sábado (2), às 16h30 (de Brasília), para medir forças com o Fluminense pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software