Governo do SP educacao
Governo do SP educacao mob

Ao decretar luto, prefeito de Santos celebra Mariângela Duarte: 'Fonte de Inspiração'

Em uma nota emitida no começo da noite desta quinta-feira, Paulo Alexandre Barbosa aproveitou a oportunidade para celebrar a memória de sua colega

Comentar
Compartilhar
22 MAI 2020Por Da Reportagem08h00
Mariângela foi eleita deputada estadual e vereador de SantosFoto: Reprodução

O prefeito Paulo Alexandre Barbosa prestou uma homenagem à ex-deputada estadual e vereadora em Santos pelo PT, Mariângela Duarte. Ao decretar luto oficial de três dias, o atual chefe do Executivo diz que perde uma amiga e afirma que ela era uma 'fonte de inspiração'. Mariângela lutava contra um câncer no pancreas e faleceu em sua residência. Ela deixa quatro filhos.

Em uma nota emitida no começo da noite desta quinta-feira, Paulo Alexandre Barbosa aproveitou a oportunidade para celebrar a memória de sua colega.

""Foi com extrema tristeza que recebi a notícia do falecimento da nossa aguerrida professora e deputada Mariângela Duarte. Uma mulher que tinha ideais, lutou pela nossa região com afinco e sempre teve a bandeira da educação em primeiro lugar. Caminhamos juntos em muitos momentos, quando aprendi a admirar e respeitá-la como um verdadeiro ícone da política santista, motivo de muito orgulho para todos nós. Perdemos uma amiga e uma fonte de inspiração. Com certeza, ela deixa uma rica história e ensinamentos para que as próximas gerações possam se espelhar. Nossos sentimentos aos familiares neste momento de dor", afirmou.

BIOGRAFIA.
Mariângela de Araújo Gama Duarte nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 3 de abril de 1946.

Transferindo-se para Santos (SP), graduou-se em letras pela Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 1973 e deu continuidade aos estudos fazendo especialização em teoria literária na mesma universidade em 1974-1975. Fez o mestrado em teoria literária em Mogi das Cruzes (SP) em 1979-1982, e uma pós-graduação na Universidade de São Paulo (USP) em 1984-1987. Foi professora da rede oficial do estado a partir de 1973 e fundadora e membro da Associação dos Professores do Ensino Oficial do Estado na Baixada Santista a partir de 1978. Professora da UniSantos de 1976 a 1998, presidiu também a Associação dos Docentes da UniSantos de 1984 a 1985.

Filiada desde 1979 ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), ingressou em 1986 no Partido dos Trabalhadores (PT) e nessa legenda foi eleita vereadora em Santos em 1988 e 1992. Foi líder da bancada do PT na Câmara Municipal de Santos entre 1991 e 1994. Nesse último ano elegeu-se deputada estadual, reelegendo-se em 1998. Na Assembleia Legislativa trabalhou pela aprovação da lei que autorizou a criação de uma universidade estadual em Santos, em oposição ao veto do governador Geraldo Alckmin, pela instituição do Código de Pesca do Estado e pela criação do Polo Tecnológico da Baixada Santista.

Em 2002 candidatou-se a deputada federal por São Paulo e obteve a primeira suplência da coligação PT-Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Assumiu o mandato de 4 de fevereiro de 2003 a 20 de julho de 2005, e em 6 de dezembro desse último ano foi efetivada na vaga aberta com a cassação do mandato de José Dirceu. Na Câmara dos Deputados defendeu pautas referentes à saúde, educação, geração de emprego, segurança pública e desenvolvimento científico, foi membro das comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, Estatuto da Mulher, Estatuto do Desporto, e Reforma do Judiciário, entre outras, e apresentou 16 projetos de lei, dos quais quatro foram encampados pelo governo e dois foram aprovados. Dos aprovados, um estabelecia uma política nacional de prevenção à hepatite e o outro incluía a temática afro-brasileira e indígena na educação.

Ao final da legislatura, em janeiro de 2007, deixou a Câmara dos Deputados. Descontente com os rumos do PT, ingressou no Partido Socialista Brasileiro (PSB) em setembro de 2007.

Por este partido, concorreu no pleito municipal de 2008 para a prefeitura de Santos, mas com 19 mil votos, não obteve êxito, ficando com a terceira colocação na disputa.

Nas eleições de Outubro de 2010, voltou a se candidatar, desta vez para deputada estadual. Ficou com a suplência.

Em janeiro de 2013, foi convidada e assumiu a Secretaria de Cultura de Guarujá.

Casou-se com Dario Gama Duarte e teve quatro filhos.

Leia mais em: https://www.diariodolitoral.com.br/cotidiano/ex-deputada-e-vereadora-mariangela-duarte-morre-aos-74-anos/134955/