X
Santos

Alunos de Santos participam de oficina que une educação e jornalismo

A ação é realizada pelo Instituto Devir Educom, em parceria com a Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino, Tecnologia e Cultura

Alunos organizados em círculo, dinâmica para a apresentação dos participantes e criação das regras do grupo de forma coletiva / Nathalia Filipe/ PMS

Alunos organizados em círculo, dinâmica para a apresentação dos participantes e criação das regras do grupo de forma coletiva. Assim foi a primeira oficina do projeto 'Memórias em rede' na escola municipal Vinte e Oito de Fevereiro (Saboó), na manhã desta quarta-feira (17).

A ação é realizada pelo Instituto Devir Educom, em parceria com a Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino, Tecnologia e Cultura (Fapetec), e o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), das secretarias municipais de Educação (Seduc) e de Desenvolvimento Social (Seds) e a Diretoria de Ensino - Região Santos.

"Dentro dos conceitos da Educomunicação, que une a educação e a comunicação, o projeto leva o jornalismo para dentro da escola, trabalhando os aspectos da memória individual, coletiva e social e a educação midiática, que se faz urgente nos dias de hoje, com tanta informação e desinformação. Além de estimular o protagonismo jovem, sentimento de pertencimento com a escola e com o local em que vivem.", destacou a presidente do Instituto Devir Educom, a jornalista e educomunicadora, Andressa Luzirão.

Durante mais de 1h30, 20 estudantes de classes de 7º, 8º e 9º anos puderam se conhecer melhor e formular regras em conjunto, que serão utilizadas ao longo do projeto, como uso de celular apenas quando necessário, uso de máscara obrigatório e respeitar e não provocar o colega. "Entendemos que essa construção estimula o engajamento com o projeto, trazendo a certeza de que fazem parte. Buscamos sempre este diálogo mais horizontal, em que todos têm vez e voz", afirmou Andressa. Além dela, os educomunicadores Ivone Rocha e Carlos Alexandre Guimarães foram os responsáveis pela oficina na 'Vinte e Oito de Fevereiro'.

"Quero aprender cada vez mais. Gosto muito desta área de comunicação e, por isso, quis fazer parte do projeto", disse a estudante Naomi Nakazato, 14. Já Nathan dos Santos, 14, está ansioso para começar a fotografar e filmar. "Eu me identifico com essa parte".

Para a orientadora educacional da escola, Eliana Lopes, a iniciativa tem uma grande importância. "Ações como estas desenvolvem a autoestima dos alunos e mostram o quanto são capazes".

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Outras escolas também recebem o projeto

Na noite desta quarta-feira, será a vez dos alunos da educação de jovens e adultos da UME José Bonifácio participarem da primeira oficina do projeto.

Na semana passada, os estudantes das unidades Avelino da Paz Vieira (municipal) e EE Zulmira Campos (estadual) iniciaram seus grupos. Ao todo são 80 alunos beneficiados.

Ações - Paralelamente às oficinas, está sendo realizado diagnóstico educacional e sociocultural nas quatro escolas públicas participantes, com a intenção de traçar um perfil de cada instituição escolar, abrangendo o projeto político pedagógico, dados quantitativos e qualitativos de seu corpo discente e docente, e aspectos estruturais e afetivos de seus espaços.

"Estamos também com a formação dos profissionais da educação das unidades envolvidas. Uma turma já foi finalizada e outras duas estão em andamento. Os encontros virtuais são muito ricos. Em breve, vamos abrir novos grupos. A nossa intenção é de que sejam formações permanentes", ressaltou a educomunicadora e jornalista, Ivone Rocha, que faz parte da equipe gestora do Devir Educom.

 

Conheça o projeto Memórias em Rede 

Conduzida pela Metodologia dos Círculos, criada pelo Devir Educom, o projeto Memórias em rede trabalha nas perspectivas do Eu, da Escola, da Família e do Território, visando um aprendizado significativo e contextualizado com a realidade dos estudantes. O intuito é o de evitar a evasão escolar e a violação de direitos de crianças e adolescentes.

O projeto foi realizado em 2018 e 2019 com alunos das unidades municipais Avelino da Paz Vieira e Mário de Almeida Alcântara. Neste ano, a iniciativa foi ampliada graças à parceria firmada entre o Instituto Devir Educom e a Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino, Tecnologia e Cultura (Fapetec).

São utilizados recursos da Comunicação e da tecnologia como canais de expressão e exercício de cidadania em diferentes linguagens, desenvolvendo consciência crítica e responsabilidade social quanto ao uso e ao consumo responsável das distintas plataformas de mídia. 

 

INSTITUTO

Criado em junho de 2018, sob o pilar da Educomunicação, o Instituto atua em várias frentes e ações na educação formal e não-formal, envolvendo crianças, jovens e adultos. Entre suas ações, além do Memórias em Rede, o Instituto tem em seu escopo projetos como Papo de #Educomunicação (lives mensais com educadores e especialistas sobre temas que afetam a escola e espaços não-formais de ensino), (RE)Aproveitar (que atua na sustentabilidade dentro das escolas), Cinescola (levando o cinema para a reflexão de alunos e demais membros da comunidade escolar), formações, entre outros.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Prepare o bolso! 8 orientações para as compras de material escolar

Os preços de materiais escolares variam muito entre as lojas e mesmo na internet, por esse motivo, é importante pesquisar e planejar as compras

Mundo

Polícia prende enfermeira na Itália por aplicação de doses falsas a ativistas antivacinas

Segundo o jornal britânico The Guardian, trata-se de uma mulher de 58 anos que trabalhava em um centro de imunização na capital da Sicília

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software