Agentes de controle de endemias atuarão com novos uniformes

Eles passam a trabalhar com coletes na cor verde, mais práticos, funcionais e com melhor identificação visual

Comentar
Compartilhar
29 AGO 2018Por Da Reportagem19h00
Agentes de controle de endemias passam a trabalhar com coletes na cor verde, mais práticos, funcionais e com melhor identificação visualAgentes de controle de endemias passam a trabalhar com coletes na cor verde, mais práticos, funcionais e com melhor identificação visualFoto: Susan Hortas/PMS

Poderia ter sido um simples ato de entrega dos novos uniformes de trabalho aos 136 agentes de controle de endemias, da Secretaria de Saúde (SMS), que a partir desta quinta-feira (30) passam a trabalhar com coletes na cor verde, mais práticos, funcionais e com melhor identificação visual. Mas a ocasião tomou a forma de celebração e reflexão sobre ‘vestir a camisa’ do serviço público, com o propósito essencial de atender com mais qualidade a população.

A entrega, realizada no auditório da Secretaria de Educação, no Centro, contou com palestra do médico Rubens Amaral, que abordou preceitos como cortesia, gentileza e bom humor para lidar com os desafios diários da vida, sobretudo do trabalho. “Precisamos fazer um serviço público que encante, realizar um acolhimento com encantamento. Colocar alegria no que se faz e contaminar as pessoas com o seu amor, com a sua forma de atender”, afirmou ele.

Os novos uniformes substituem as antigas camisetas, devolvidas pelos agentes à SMS. “Não haverá mais agentes com o antigo uniforme. O novo colete identifica melhor os funcionários nas ruas e é mais prático, pois pode ser colocado por cima de qualquer roupa. Que este uniforme traga o mesmo sentido de ‘vestir a camisa’, pois queremos fazer da Cidade um exemplo com o nosso serviço”, disse a chefe do Departamento de Vigilância em Saúde de Santos, Ana Paula Valeiras.

Cada servidor recebeu dois coletes. No trabalho casa a casa, também estarão identificados com crachá. “Esse colete novo tem bolsos que ajudam a carregar nossas ferramentas de trabalho, como pipeta, larvicida, álcool, lápis, caneta. É mais arejado, está com o nome correto da nossa função e não precisamos ficar uniformizados após o término do serviço”, falou o agente de controle de endemias Lucas Gomes Vieira, 29 anos. Os uniformes antigos serão doados ao Instituto Arte no Dique.

SERVIÇO

Munícipes podem entrar em contato com a Seção de Controle de Vetores (Secove) no telefone 3257-8030.