X
Cotidiano

Rodas de terapia comunitária são retomadas em Praia Grande

Equipes do Nasf-AB e da Usafa organizaram roda de conversa no Maracanã

Rodas de terapia comunitária são retomadas em Praia Grande / Foto: Prefeitura de Praia Grande

As rodas de terapia comunitária integrativa estão retornando ao dia a  dia das unidades de saúde de Praia Grande após dois anos de pandemia.  Trata-se de um espaço acolhedor para ouvir e ser ouvido que visa  fortalecer a rede e oferecer mais bem-estar e qualidade de vida à  população. A Unidade de Saúde da Família (Usafa) do Maracanã celebrou  a retomada das atividades na última sexta-feira (6), com uma roda de  terapia que levou muita música e alegria aos presentes.

A roda de conversa ocorreu na Academia da Saúde e foi temática,  dedicada ao Dia das Mães (comemorado no dia 8), abrindo espaço para  que os participantes falassem sobre relacionamentos familiares. A  atividade contou também com as médicas do Programa de Residência  Médica e Medicina de Família e Comunidade de Praia Grande que atuam na  Usafa Maracanã. Acompanhadas de um violão e de um cajón, um  instrumento de percussão, as médicas residentes Amanda Salazar e  Isadora Gutierrez tocaram e animaram o dia dos presentes.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.


Terapeuta comunitária responsável por conduzir a atividade, a  assistente social do Núcleo Ampliado da Saúde da Família na Atenção  Básica (Nasf-AB), Jeane Bogsan, destacou a importância desse trabalho.  “A roda tem essa finalidade de integrar, construir pontes entre as  pessoas. A ideia é essa formação de rede, de um apoiar o outro, porque  nem sempre o terapeuta vai estar aqui, então é trazer essa  oportunidade deles mesmos se ajudarem”.

Para a médica e coordenadora do Nasf, Katia Mara Mendes Ferreira  Santos, o retorno da terapia comunitária integrativa proporciona novas  possibilidades de enfrentar os problemas da vida cotidiana, com apoio  da própria comunidade. “Você vê a esperança surgindo de novo, agora a  gente tem vida nova, com um enfrentamento melhor das nossas  incapacidades e impotências, olhando pelo saber do outro e entendendo  que os nossos problemas não são tão grandes assim. E aí ter mais força  e mais esperança para caminhar. É muito bonito ver isso acontecendo de  novo”.

De acordo com a médica residente Amanda Salazar, a pandemia elevou o  número de atendimentos na Usafa relacionados à saúde mental. Por isso,  a retomada das rodas de conversa se mostra uma ferramenta essencial  para a melhora do bem-estar da população. “Reatar a roda de terapia  comunitária é muito importante, porque com ela você cria novos  vínculos, gera relações de amizade, fortalece essa rede de apoio e dá  um espaço de fala para elas além do consultório. Isso permite que a  gente trabalhe de uma maneira mais integral e complementar e não só  com medicação”.

Esse sentimento é reforçado pelos relatos dos participantes, como  Raimunda Moura, 62 anos, que compartilhou sua experiência e satisfação  pelo retorno após dois anos de pandemia. “Para mim é um motivo de  muita alegria estar de volta à roda depois de tanto tempo. E encerrar  com essa corrente, todos juntos, abraçados, é uma fortaleza dentro de  mim”.

Como participar
Para participar é só buscar informações com a equipe  de saúde nas unidades onde estão ocorrendo as sessões. Além da Usafa  Maracanã, estão previstas até o momento, podendo ser ampliadas  oportunamente, rodas de terapia nas Usafas Antártica, Melvi, Mirim II,  Rio Branco, Samambaia, Vila Sônia. Também deverão ocorrer sessões nos  Centros de Atenção Psicossocial (Caps II) Boqueirão, Infantil (Caps I)  e Caps Álcool e Drogas (Caps AD) 24 horas.

Os casos que necessitarem de um acompanhamento mais especializado  serão encaminhados com relatório da equipe para a rede de reabilitação  mental da Cidade através dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps),  que contam com médico, psiquiatra, psicólogo, terapeuta ocupacional,  equipe de enfermagem.

Sobre a terapia
A terapia comunitária integrativa foi criada em 1986  pelo psiquiatra, teólogo e antropólogo Adalberto Barreto, e procura  auxiliar as pessoas, dando apoio e afeto, além de criar espaços de  compartilhamento de sentimentos e desenvolver maneiras de enfrentar os  problemas.

Em Praia Grande, a Secretaria de Saúde Pública (Sesap) realizou a  capacitação de alguns profissionais com essa formação para poder  replicar na rede. Nas rodas de conversa o diálogo é aberto e voltado  para as preocupações do cotidiano da pessoa e para a busca de soluções  com a ajuda de exemplos de superação compartilhados por outros  participantes.

Nasf-AB 
Dentro de sua estrutura de serviços prestados, o Nasf se  destaca na prevenção, beneficiando a saúde, além de agilizar os  atendimentos. A equipe conta com profissionais nas seguintes áreas:  pediatria, ginecologia, psicologia, fisioterapia, educação física,  assistência social e nutrição. O Nasf atende a partir da rede de  Atenção Primária, em conjunto com as Unidades de Saúde da Família  (Usafas) do Município.

Atenção Básica
O setor de Atenção Básica de Praia Grande dispõe de  30 Usafas. As ótimas condições estruturais propiciam para os pacientes  e profissionais confortáveis acomodações e estrutura. A Cidade tem  mais de 100 equipes do Programa Saúde da Família e cobre 100% da  população. A excelente marca reforça o Município como referência na  Região Metropolitana da Baixada Santista no setor.

Programa de Residência
Um dos grandes diferenciais que colocam Praia  Grande como referência na área da Saúde são os seus Programas de  Residência Médica e Multiprofissional em Medicina da Família e  Comunidade de Praia Grande. Mesmo não tendo uma instituição de ensino  nesta área, a Cidade está habilitada pelo Ministério da Educação (MEC)  e da Saúde (MS), por ser referência em Medicina da Família e  Comunidade e a única da Baixada Santista a ter 100% de cobertura da  população nessa especialidade.

O Município oferece cursos de pós-graduação com a duração de dois  anos, que contam com atividades teóricas e práticas nas Usafas-escola  (Unidades de Saúde da Família), formando profissionais especializados  em Medicina da Família e Comunidade e também no âmbito  Multiprofissional (enfermagem, fisioterapia, odontologia e psicologia).

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Casal de Guarujá perde mais de R$ 1.000 após cair no golpe do ovo

A vítima também relatou que o marido chegou a ligar para amigos policiais e, segundo eles, por volta de 13h40 o carro foi avistado por um radar de inteligência em Praia Grande, onde eles teriam aplicado o golpe em outra vítima

Polícia

PM apreende 4,6 kg de drogas no Morro São Bento, em Santos

Dois homens conseguiram fugir, e até o momento, não foram localizados

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software