X

VIOLÊNCIA

Professor morre após levar tiro no rosto durante assalto em Praia Grande

Após ser baleado, ele chegou a ir sozinho a um pronto-socorro da cidade, mas como não tinha plano de saúde, foi transferido para uma unidade pública, onde morreu

Joe Silva

Publicado em 09/02/2023 às 22:34

Atualizado em 09/02/2023 às 22:47

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O professor ficou com a bala alojada e sofreu hemorragia / Reprodução/Redes sociais

Um professor da Escola Técnica Estadual (Etec) de Cubatão morreu neste domingo (5) após ter sido baleado durante um assalto em Praia Grande na última quarta-feira (1).

Ary Osmar do Nascimento Filho, de 49 anos, ainda conseguiu ir sozinho para um pronto-socorro particular da cidade, onde recebeu os primeiros cuidados, mas como não tinha plano de saúde, foi transferido para uma unidade pública. Segundo informações do portal g1, ele ficou dias internado até que perdeu a vida.

Como o crime aconteceu

O professor havia saído de moto de uma reunião em Cubatão e seguia a um bar, no bairro da Aviação, em Praia Grande, onde também morava. Em Praia Grande, ele foi abordado por dois homens, que teriam roubarado o celular dele.

Ainda na abordagem dos suspeitos pegou uma arma que estava em posse do professor, uma vez que ele tinha registro de Caçador, Atirador e Colecionador (CAC). Em determinado momento, um dos homens disparou contra o rosto do professor.

Os bandidos fugiram a pé e a Polícia Militar foi acionada.

Bala alojada

A esposa de Ary, Cristiane Camargo, de 50 anos, conta que, ao chegar ao hospital, soube que o marido estava com a bala alojada perto da garganta, na região do palato. “Ele ainda conseguiu me ver e me pediu perdão”, diz.

“Ele teve uma hemorragia sem fim. Tentaram reanimá-lo, mas não resistiu. Não merecia ter morrido desse jeito”, lamentou.

ETEC prestou homenagem

A Escola Técnica Estadual (Etec) de Cubatão postou uma nota de pesar nas redes sociais. Diversos alunos e ex-estudantes da unidade lamentaram a morte do professor nos comentários. “Meu marido era uma pessoa boa e maravilhosa. Era um profissional excelente e se doava muito pelo trabalho”, disse Cristiane. 

A esposa conheceu vários alunos e outros professores que tiveram contato com o marido dela ao longo desses anos na área da educação. “Ele tocou em muitas vidas com certeza. Esse é o nosso legado [como professores]”.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Mau presságio? Branqueamento de corais pode ser sinal da morte dos oceanos; entenda

Estruturas são a base do Oceano

Nacional

Não perca as contas: você sabe quantas vezes o cantor Fábio Jr. se casou?

A lista é bem extensa e pode confundir os fãs

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter