Praia Grande decide não voltar com as aulas presenciais neste ano

Segundo a prefeitura, a decisão foi tomada após uma pesquisa com mais de 22 mil pais ou responsáveis por alunos da rede municipal

Comentar
Compartilhar
21 AGO 2020Por Natalia Cuqui18h53
Os professores também participaram da pesquisa, e 92% dos 1500 profissionais também eram a favor de seguir com aulas onlineFoto: Divulgação

A prefeitura de Praia Grande definiu que as 77 escolas públicas da rede municipal de ensino não voltarão a ter aulas presenciais durante este ano. Um decreto municipal será publicado nos próximos dias regulamentando a medida, cujo objetivo é evitar o contágio e proliferação de novos casos da covid-19 na cidade. As aulas serão à distância, por meio de uma plataforma desenvolvida pela Secretaria de Educação de Praia Grande onde estará o conteúdo educativo.

Segundo a prefeitura, a decisão foi tomada após uma pesquisa com mais de 22 mil pais ou responsáveis por alunos da rede municipal, um número correspondente a quase 40 mil alunos, sendo que a cidade possui um total de 55 mil crianças matriculadas. Nessa pesquisa, quase 85%  eram contra a volta das aulas presenciais ainda em 2020 por não se sentirem seguros. Os professores também participaram da pesquisa, e 92% dos 1500 profissionais também eram a favor de seguir com aulas online.  

A Seduc já planeja atividades para o próximo ano letivo, incluindo reforço do conteúdo de 2020, para que nenhum aluno se sinta prejudicado por conta da pandemia. Já a rede privada, segundo a administração pública, deve seguir as diretrizes impostas pela Diretoria Regional de Ensino, localizada em São Vicente. Como o órgão é regido pelo Estado de São Paulo, o retorno às aulas seguirá o Plano SP.

Na última quarta-feira (19), o vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou que os municípios teriam autonomia para decidir se voltariam a ter aulas presenciais na rede de ensino ou se o formato se manteria à distância.

A Secretaria de Educação de São Paulo autorizou a volta presencial das escolas públicas e privadas a partir do dia 8 de setembro, desde que as regiões onde as escolas estão localizadas estejam na Fase Amarela há pelo menos 28 dias. Além disso, deve-se obedecer a um número máximo de alunos por sala de aula.