Prefeitura Santos
Prefeitura Santos Mobile

Praia Grande começa a montar seu segundo hospital de campanha

Ginásio Rodrigão abrigará a estrutura, concebida para auxiliar médicos e enfermeiros durante pandemia

Comentar
Compartilhar
02 ABR 2020Por Da Reportagem09h50
A equipe iniciou os trabalhos e mais 88 leitos serão implantados para receber casos de Covid-19Foto: Fred Casagrande / Prefeitura Municipal de Praia Grande

O segundo hospital de campanha de Praia Grande já está sendo montado no Ginásio Rodrigão, no Bairro Tupi. A equipe iniciou os trabalhos e mais 88 leitos serão implantados para receber casos de Covid-19, popularmente conhecido como coronavírus. A estrutura do primeiro hospital de campanha no Ginásio Falcão já está montada e aguarda a chegada de equipamentos para entrar em funcionamento, com mais 100 leitos.

Ao todo, serão 188 leitos a mais na Cidade para receber pacientes com sintomas moderados, deixando os casos mais graves isolados no Hospital Irmã Dulce. Os trabalhos são coordenados pela Secretaria de Saúde Pública (Sesap) da Cidade e se estenderão pelos próximos dias.

A previsão é que o atendimento no hospital de campanha do Ginásio Facão (Mirim) já comece na próxima semana. Para isso, a Sesap está adquirindo equipamentos específicos necessários para leitos clínicos que estarão disponíveis para os serviços no hospital de campanha, como, por exemplo, camas e monitores cardíacos. Além disso, a secretaria também já efetua a montagem das equipes de profissionais.

Já no hospital de campanha do Ginásio Rodrigão (Tupi) a previsão para término da montagem também é na próxima semana e a chegada de equipamentos na semana seguinte.

O secretário de Saúde Pública de Praia Grande, Cleber Suckow Nogueira, comenta que Praia Grande se prepara para receber os pacientes de forma organizada e humanizada. “Sabemos que alguns pacientes não precisarão de UTI, mas sim de leitos comuns. Por isso, a Cidade está montando essas estruturas nesses dois ginásios. Com esta medida, vamos desafogar também a nossa unidade hospitalar, os prontos-socorros e atender a todos da melhor maneira possível”.

Postos de Acolhimento – Começa nessa quarta-feira (1) o atendimento dos dois Postos de Acolhimento para casos suspeitos de Covid-19, montados na UPA Samambaia e na Porta de Entrada do Irmã Dulce, os pacientes serão triados nas duas estruturas montadas na frente das unidades. A partir deste momento, ocorrerá o encaminhamento para os consultórios específicos relacionados à patologia constatada.

“Essas estruturas terão papel fundamental para evitar a chamada contaminação cruzada dentro das unidades. Os espaços estruturados beneficiam os pacientes e também os profissionais da Saúde que estão na linha de frente desses atendimentos. A Prefeitura de Praia Grande está trabalhando intensamente na prevenção e combate ao Covid-19”, completou o secretário.

Hospital para síndromes respiratórias – Também entra em funcionamento nessa quarta-feira (1) a unidade anexa ao pronto-socorro Quietude, que conta com uma estrutura diferenciada. O Hospital para atendimentos específicos de casos de síndromes gripais e respiratórias dispõe de alas adulta e infantil, salas de medicação, soroterapia, observação, além de consultórios e ampla sala de recepção. Outro destaque é que o local possui área para raio-x, o que agiliza a entrega de resultados desse exame para um diagnóstico mais preciso dos médicos. Uma unidade semi-intensiva, destinada a cuidados intensos, também integra o equipamento.

162 - Em Praia Grande, os telefones 162 e 3495-2281 estão realizando o atendimento de triagem e enfrentamento ao coronavírus. O novo serviço ocorre diariamente, das 8 às 22 horas, por equipe multidisciplinar da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) da Cidade, composta por médicos, enfermeiros e outros profissionais do setor.

Por telefone qualquer pessoa da Cidade pode explicar sua condição de saúde para uma identificação e classificação de risco de contágio do coronavírus. Os profissionais aplicam o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde no aplicativo Coronavírus-SUS. A pessoa identificada como suspeita é agendada já no atendimento telefônico para consulta na Usafa de seu bairro.