Jovens juntam latinhas e vendem água para ajudar no sonho de casar

A palavra união tem uma simbologia ainda mais especial para Milene Alves, 35 anos, e Bruno Cesar, 30.

Comentar
Compartilhar
07 DEZ 2019Por Caroline Souza10h01
Os jovens já oficializaram a união no civil, mas ela sempre sonhou em se vestir de noiva.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

O véu, a gravata e as roupas com os dizeres 'sou noiva do Bruno' e 'sou noivo da Milene' entregam que o jovem casal de Praia Grande está vendendo água, refrigerante e churrasquinho para ajudar a realizar o sonho de casar.

A palavra união tem uma simbologia ainda mais especial para Milene Alves, 35 anos, e Bruno Cesar, 30. Para complementar o orçamento, eles recolhem, juntos, latinhas há cerca de um ano. Em novembro, para aproveitar o grande fluxo de turistas que passa pela cidade nos feriados e finais de semana, eles decidiram começar a venda dos itens próximo ao viaduto Tude Bastos.

Milene é manicure e Bruno entregador de uma loja de material de construção. O casamento no civil já aconteceu há cerca de um ano, mas ela sempre quis realizar o sonho de se vestir de noiva.

"Casamos no civil, mas sempre tive o sonho de me vestir de noiva e decidi colocar diante de Deus para realizar", comenta Milene. "Começamos a juntar as latinhas e aproveitamos essa época movimentada para vender as coisas".

A ideia das latinhas e da venda foi de Bruno, mas Milene quem decidiu usar as roupas para chamar atenção. "Vender água todo mundo vende, a roupa foi o diferencial", explica.

O casal faz questão de esclarecer que a maior parte do dinheiro vem do próprio salário. "Essa foi a maneira que encontramos de ter outra renda, sem mexer só no nosso orçamento mensal, porque temos outras prioridades também", declara Bruno.

A história de amor que virou realidade graças à rede social também viralizou na internet. "Moramos no mesmo bairro, mas começamos a conversar no messenger do Facebook e desde o primeiro encontro não nos desgrudamos mais", conta Milene. "Um amigo nosso pediu para compartilhar o que estamos fazendo para poder casar e viralizou", completa. E brinca "para quem não queria que muita gente soubesse, Praia Grande inteira está sabendo".

Com a repercussão nas redes sociais, o casal começou a receber ofertas de quem trabalha no ramo de casamentos. "A gente tinha falado com duas fotógrafas e não deu certo, aí depois da repercussão uma fotógrafa veio dizer que seria um presente pra ela nos dar esse presente, ela vai dar a foto, o ensaio e o álbum", afirma Milene. O casal ganhou ainda o barzinho e música ao vivo.

"Eu agradeço muito o apoio, mas a maior parte das coisas já está paga, afinal faltam apenas quatro meses para o grande dia. O que já pagamos, vamos deixar para a pessoa abençoar outro casal, mas o que não, temos a humildade de aceitar", diz Milene.

O sonho que começou por Milene contagiou Bruno, que confessa: "aos poucos fui me encantando e embarquei de cabeça, começamos a inventar as coisas para arrecadar dinheiro e o sonho dela agora é o meu sonho também".

Para eles, a festa é apenas a simbologia da união. "Não adiantaria nada se a gente não estivesse fazendo isso juntos, esse é o significado do casamento", finaliza Milene.