Indígenas de PG recebem primeira dose da vacina contra coronavírus

Aproximadamente 20 pessoas foram vacinadas na Aldeia Tekoá Mirim

Comentar
Compartilhar
25 JAN 2021Por Da Reportagem16h55
Da etnia Guarani-M’bya, os índios que vivem na Aldeia Tekoá Mirim são divididos em 12 famílias, aproximadamente 60 pessoas, e formam a comunidade indígena mais jovem da regiãoFoto: Fred Casagrande/PMPG

A população indígena de Praia Grande já recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19. Uma equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande e representantes da Secretaria de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde visitaram a Aldeia Tekoá Mirim, nessa segunda-feira (25), onde foram vacinados 20 indígenas maiores de 18 anos.

O cacique Edmilson Souza explicou a importância da vacina para seu povo. “A gente está afastado da cidade, é mais difícil de chegar a um hospital, a uma unidade de saúde. A vacina nos deixa mais confiante e é um reconhecimento dos nossos direitos, é preservação da população indígena, somos da terra, somos os primeiros brasileiros”, disse.

Para o indígena Edson de Oliveira, a vacina é um alívio, um respiro para quem vive na comunidade. “A gente estava esperando por isso, estamos sem poder ir para cidade, vender nossos artesanatos, nossa forma de sustento. Mas a gente ainda precisa manter os cuidados, vamos ter que esperar a segunda dose”, comenta.

Outros serviços também foram realizados no local, como a pesagem das crianças, distribuição de medicamentos e orientação dos pais. “Nossa equipe, em parceria com a Sesai, sempre em até aqui e realiza, vacinação de rotina e outros serviços de saúde, pois o acesso à saúde é mais difícil para eles, a comunidade fica longe da cidade e todo o acompanhamento é muito necessário”, explica a enfermeira Thalissa Teixeira Magalhães.

Já a auxiliar de enfermagem, Viviane Tavares Caldas Gonçalves, comenta sobre a importância da prioridade dada a esse grupo. “ Os índios foram dizimados ao longa da história do país. É necessária essa prioridade para a preservação dessa população, eles vivem longe das unidades de saúde, do serviço de urgência e emergência. Precisamos protege-los, proteger nossa história e nossa cultura”.

Aldeia - Da etnia Guarani-M’bya, os índios que vivem na Aldeia Tekoá Mirim são divididos em 12 famílias, aproximadamente 60 pessoas, e formam a comunidade indígena mais jovem da região.

A comunidade fica no interior de uma Unidade de Conservação Ambiental, no Parque Estadual Serra do Mar e existe há quase 10 anos.