Ações influenciam queda de mortalidade infantil em PG

Treinamento de equipes: índices recentes apontam a Cidade com um dos melhores resultados na região

Comentar
Compartilhar
19 JUL 2018Por Da Reportagem15h47
O treinamento visa assegurar atenção no primeiro minuto do nascimento, para assegurar a sobrevida dos recém-nascidosO treinamento visa assegurar atenção no primeiro minuto do nascimento, para assegurar a sobrevida dos recém-nascidosFoto: Antonio Cassimiro

A fim de manter em níveis cada vez menores as taxas de mortalidade infantil em Praia Grande, equipes que atuam na Maternidade do Hospital Municipal Irmã Dulce (HMID) vem passando por constantes capacitações. Na semana passada, o treinamento abordou técnicas de reanimação neonatal, que preveem ações logo no primeiro minuto de vida dos recém-nascidos. O aperfeiçoamento profissional é uma das medidas do Governo Municipal para qualificar os serviços de saúde.

Realizadas em conjunto com a Secretaria de Saúde Pública (Sesap), da Prefeitura de Praia Grande, as atualizações estão permitindo maior troca de informações visando disseminar conhecimentos relativos ao cuidado neonatal, como preconiza o Programa de Reanimação Neonatal, da Sociedade Brasileira de Pediatria. A iniciativa defende que, quando necessária para evitar óbitos, sobretudo os associados à asfixia perinatal, a atenção no primeiro atendimento é fundamental para a sobrevida de recém-nascidos.

Segundo a médica pediatra com especialização em Neonatologia, Dra. Marilene Kiskissian Martins, da UTI Neonatal do HMID, a atenção passa imediatamente pela identificação de situações de risco. “Os cuidados vão desde o transporte à estabilização imediata após a reanimação. Deve-se focar no chamado “minuto de ouro”, que se refere ao primeiro minuto de vida em que se verifica se o bebê precisa ou não de cuidados, sob risco poder vir à óbito”, ressalta.

Para o diretor geral do Complexo Hospitalar, Dr. Ricardo Carajeleascow, as capacitações realizadas em Praia Grande, voltadas aos profissionais de saúde que atuam nas unidades básicas e no Irmã Dulce tendem promover resultados cada vez melhores. “O prefeito Alberto Mourão entende como prioridade a melhoria da taxa de mortalidade e não medirá esforços para chegarmos a um dígito, no prazo mais curto possível. Trata-se de uma atuação que poucas cidades realizam e que são cruciais na busca de patamares importantes na área da saúde. Este é o objetivo desta sintonia entre o Governo Municipal e a Fundação do ABC”, disse.

Conforme dados do Ministério da Saúde, divulgados recentemente, Praia Grande apresentou uma das maiores quedas no índice de mortalidade infantil na Baixada Santista. Em 2015, a média para cada mil nascidos vivos no Município era de 17,3 óbitos, passando para 13,8, no ano passado.

Pela especificidade de reanimação neonatal, o treinamento foi destinado a fisioterapeutas, a equipes médicas e de enfermagem do Centro Cirúrgico, na realização de cesáreas, e no Centro Obstétrico, onde ocorrem partos normais.

Os assuntos abordados foram: Ventilador mecânico manual em T; Auxílio à intubação traqueal; Massagem cardíaca; Preparo e administração de medicações; Fluxograma da reanimação neonatal; Passos iniciais da reanimação; Líquido amniótico meconial; Oxigênio suplementar na sala de parto; Reanimadores manuais neonatais e interfaces; Ventilação com balão auto-inflável e máscara facial.

O evento também foi uma oportunidade para atualização sobre as últimas recomendações como mudanças importantes de diretrizes, o que inclui tempo para o clampeamento do cordão umbilical, monitorização cardíaca eletrônica na reanimação, estimativa da profundidade da inserção da cânula traqueal e outros.

Além de Marilene Kiskissian Martins, ministraram o curso as médicas da UTI Neonatal, com igual com especialização em Neonatologia, Dra. Daniela Gabbia e Dra. Tatiana Antunes de Lara. Além do HMID, todas atuam como instrutoras sobre o tema em outras instituições hospitalares da região, como representantes da Sociedade Brasileira de Pediatria.