Venezuelanos acreditam na recuperação de Chávez, diz pesquisa

Maduro disse na televisão que, que o presidente "está combatendo por sua saúde, por sua vida, e nós o estamos acompanhando"

Comentar
Compartilhar
01 MAR 201310h56

O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, declarou nesta quinta-feira (28) que Hugo Chávez está lutando por sua vida enquanto continua a receber tratamento, mais de dois meses depois de sua última cirurgia contra um câncer. No entanto, uma recente pesquisa mostra que três em cada cinco venezuelanos acreditam na volta do Chávez ao poder.

Maduro disse na televisão que, que o presidente "está combatendo por sua saúde, por sua vida, e nós o estamos acompanhando". O vice-presidente já usou palavras semelhantes para descrever o estado de Chávez.

O presidente não é visto em público desde antes da última cirurgia em Cuba, realizada em 11 de dezembro. Ele retornou à Venezuela em 18 de fevereiro e recebe tratamento num hospital militar de Caracas.

O governo afirma que o presidente está respirando com a ajuda de um tubo traqueal depois de sobreviver a uma infecção respiratória grave.

Apesar de médicos não envolvidos no tratamento de Chávez especularem que as medidas devem ser paliativas, concebidas apenas para deixar o presidente mais confortável em seus dias restantes, muitos venezuelanos aparentemente acreditam - ou querem acreditar - que ele está melhorando.

Chávez está respirando com a ajuda de um tubo traqueal depois de sobreviver a uma infecção respiratória grave (Foto: Divulgação)

"Ausência prolongada do presidente e sua situação crítica não têm sido convertidos em um enorme pessimismo sobre seu retorno", twittou o respeitado pesquisador Luis Vicente Leon nesta quinta-feira.

Ele disse que cerca de 58%dos venezuelanos acreditam que Chávez vai se recuperar enquanto cerca de 30% acreditam que ele não vai voltar ao poder e 12,5% dizem que não sabem o que vai acontecer. Um por cento, entretanto, acredita que Chávez nunca esteve doente.

Leon, chefe da empresa de pesquisa do Datanálisis, disse à Associated Press que a pesquisa feita em 11 de fevereiro com 1 198 pessoas possui uma margem de erro de três pontos porcentuais

Ele disse que acredita que a enquete reflete o desejo das pessoas de não acreditarem no pior sobre alguém que é querido por eles, assim como as pessoas resistem em aceitar que um parente próximo pode estar morrendo.

Segundo Leon, os relatos de funcionários do governo sobre reuniões de horas de duração com Chávez contribuiu para a crença de muitos venezuelanos de que Chávez vai voltar.

"O governo tem enviado mensagens permanentes que o presidente Chávez vai voltar, que ele se encontra com o vice-presidente por cinco horas", ressaltou Leon.

Ele disse que as pessoas não necessariamente acreditam nisso, uma vez que a pesquisa revelou que 44% pensam que o governo não tem sido transparente na discussão sobre a saúde de Chávez. As informações são da Associated Press.