Um mês depois de assumir, Waldir Maranhão tenta presidir Câmara

Maranhão iniciou as votações com a discussão de um pedido de tramitação em regime de urgência de projeto para desmembrar universidades

Comentar
Compartilhar
08 JUN 2016Por Folhapress22h00
Um mês depois de assumir, Waldir Maranhão tenta presidir CâmaraUm mês depois de assumir, Waldir Maranhão tenta presidir CâmaraFoto: Divulgação

Avesso a entrevistas e impedido pelos partidos do "centrão" de comandar as sessões da Câmara, o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), apareceu na manhã desta quarta-feira (8) para tentar conduzir os trabalhos do plenário.

A pauta de votações do dia é considerada tranquila, sem risco de maiores polêmicas. Mas já de saída Maranhão levou uma reprimenda do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que o obrigou a mudar a pauta de votações que planejava conduzir, sob pena de não conseguir "ficar nem duas horas na cadeira".

Maranhão iniciou as votações com a discussão de um pedido de tramitação em regime de urgência de projeto para desmembrar universidades.

Maia protestou, afirmando que já havia acordo para votar em segundo turno a Desvinculação das Receitas da União, a chamada DRU. Maranhão voltou atrás e colocou a votação da DRU em pauta.

Vice da Câmara, o deputado do PP assumiu o comando da Casa após o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pelo Supremo Tribunal Federal em 5 de maio.

Desde então faz uma gestão errática e marcada por recuos e reclusão. Sob a avaliação de que ele é fraco política e administrativamente, os partidos do centrão o forçaram a aceitar acordo para terceirizar a presidência das sessões para o deputado Giacobo (PR-PR), o segundo-vice, que é quem vem comandando as votações mais polêmicas.