X
Política

TRF4 determina destruição de áudios gravados em escritório de advogados de Lula

A decisão atendeu mandado de segurança apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

De acordo com a defesa, os áudios estavam protegidos por sigilo entre clientes e advogados, e o STF / Divulgação/Fotos Públicas

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou a destruição dos áudios gravados em um dos ramais do escritório Teixeira, Martins e Advogados durante investigações da Operação Lava Jato. A decisão atendeu mandado de segurança apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que questionava a disponibilização dos áudios, por decisão da 13ª Vara Federal de Curitiba.

De acordo com a defesa, os áudios estavam protegidos por sigilo entre clientes e advogados e o Supremo Tribunal Federal (STF) teria determinado a sua eliminação, decisão que não foi cumprida pela 13ª Vara Federal, o que estaria colocando em risco as garantias constitucionais e prerrogativas profissionais.

O desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator do processo, disse que os grampos não valem como prova porque o telefone não é de titularidade de nenhuma das partes envolvidas na investigação. Mas, segundo ele, não houve ilegalidade na decisão que determinou a produção dessa prova, porque o número grampeado foi fornecido pela empresa do ex-presidente e apenas depois de deferida e implementada a interceptação verificou-se que a linha pertencia ao escritório Teixeira, Martins e Advogados.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Inscrições para concurso da Guarda Municipal podem ser feitas até dia 3 em PG

Provas objetivas estão previstas para o dia 20 de fevereiro

Esportes

Santos pode trocar técnico finalista da Copinha

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software