Tomie Ohtake era grande dama da pintura nacional, diz Dilma

A artista plástica morreu hoje (12), aos 101 anos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internada na unidade de terapia intensiva

Comentar
Compartilhar
12 FEV 201519h47

A presidenta Dilma Rousseff divulgou nota de pesar pela morte da artista plástica Tomie Ohtake.

Sobre o trabalho de Tomie, Dilma a considerou “grande dama da pintura nacional”, e disse que, apesar de japonesa, a artista se tornou “intrinsecamente brasileira”.

“A sua capacidade de reunir geometria e cor, movimento e placidez tornaram Tomie Ohtake uma artista única”, escreveu a presidenta, além de prestar homenagens e sentimentos de pesar aos parentes e amigos da artista.

Tomie Ohtake morreu hoje (12), aos 101 anos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internada na unidade de terapia intensiva (UTI). Ela foi hospitalizada no último dia 2 para tratar de uma pneumonia e, momentos antes de receber alta, na terça-feira (10), teve de ser levada às pressas para a UTI, depois de sofrer uma broncoaspiração, que comprometeu as batidas do coração.

A presidenta Dilma divulgou nota de pesar pela morte de Tomie Ohtake (Foto: Agência Brasil)