Temer cita melhora na economia e convida estrangeiros a investir no Brasil

O presidente voltou a avaliar que seu governo 'conseguiu feitos mais que razoáveis' em pouco tempo

Comentar
Compartilhar
21 MAR 2017Por Estadão Conteúdo16h30
Michel Temer fez um chamado para que investidores internacionais venham ao BrasilMichel Temer fez um chamado para que investidores internacionais venham ao BrasilFoto: Agência Brasil

O presidente Michel Temer fez um chamado para que investidores internacionais venham ao Brasil e citou dados de melhoria na economia e de avanços de reformas para dizer que o País voltou a ser lucrativo para os interessados em investir aqui.

"Aqueles que podem e queiram investir no Brasil, podem fazê-lo. Posso dizer sem medo de errar: invistam no Brasil que vocês sairão ganhando", afirmou o presidente nesta terça-feira, 21, em conferência organizada pelo Council of The Americas. "Queremos que os Estados Unidos e quem mais possa invistam com muita força, entusiasmo e segurança no País", completou.

Temer voltou a avaliar que seu governo "conseguiu feitos mais que razoáveis" em pouco tempo, e citou, em primeiro lugar, a queda na inflação, que ficou abaixo do teto da meta de 6,5% em 2016. "Hoje a inflação está em torno de 5%, indicando que esse ano poderemos ficar abaixo do centro da meta de 4,5%. Isso é fruto de uma política econômica responsável, que passa pela redução de juros, prenunciando a hipótese de que a Selic possa voltar para um dígito", acrescentou.

O presidente citou também a abertura de quase 36 mil vagas de emprego formal em fevereiro, após 22 meses consecutivos de queda "O que esperávamos que viesse no próximo semestre começou agora", analisou.

O presidente também comemorou o fato da Moody's ter alterado a perspectiva de rating do Brasil de "negativo" para "estável" na última semana. "Isso aumenta a nossa possibilidade de voltarmos a ter grau de investimento, o que significa o reconhecimento internacional de que o cenário é muito mais positivo", completou

Temer citou ações como a liberação de contas inativas do FGTS, com uma injeção de cerca de R$ 35 bilhões a R$ 40 bilhões na economia e citou a continuidade de programas sociais continuam. O presidente disse ainda que o governo está lançando um programa de regularização fundiária nas cidades e no campo.

Ele lembrou que o leilão de quatro aeroportos na última semana teve um ágio "extraordinário". Ele voltou a dizer que as ações das Petrobras se valorizaram 145% em um ano e meio, demonstrando o retorno da confiabilidade da estatal.

"Há uma crença de que o País está renascendo. Não teria coragem de fazer esse discurso há seis meses, mas hoje tenho essa segurança. O Brasil tem rumo e não vai distrair-se em função de outros fatos", afirmou.

Para o presidente, cada um dos Poderes da República está organizado e realizando suas atividades harmoniosamente. "Estamos passando por um fenômeno de reconstitucionalização do País. Temos responsabilidade fiscal ao lado de responsabilidade social", concluiu.