Telma questiona programa Roda SP

Denúncia do Diário do Litoral serviu de base para requerimento da deputada. Somente dois dos 16 veículos da frota atendem deficientes físicos na Baixada

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201510h53

“Elaborei requerimento de informações ao novo secretário de Turismo do Estado, Roberto de Lucena, questionando os problemas no Programa Roda SP. É um grande desrespeito a situação constatada pela reportagem do Diário do Litoral”, publicou ontem, em seu perfil no Facebook, a deputada estadual Telma de Souza (PT).

A parlamentar não se conforma que apenas dois dos 16 ônibus do programa estão adaptados para receber portadores de deficiência física. A Secretaria Estadual de Turismo garantiu que, o mais rápido possível, vai adaptar os demais veículos.

A Reportagem esteve na última quarta-feira (7) em um dos pontos de embarque e desembarque — em frente ao Orquidário — e constatou que o ônibus e a van da Rota Bem Receber (uma das quatro que envolve o programa) não recebe bem os deficientes. O ônibus placa EMU 4204 e a van DZY 3894 não possuíam rampas ou elevadores.

“O Governo Estadual, que também possui uma secretaria para cuidar exclusivamente dos direitos da pessoa com deficiência, gasta uma fábula em propagandas que exaltam o respeito aos direitos dos cidadãos paulistas. Mas, na prática, ignora esta parcela da população neste episódio e no que se refere à disponibilidade de transporte para estudantes, caso que só foi resolvido, também, após denúncias na imprensa”, completa a parlamentar, que também quer explicações sobre as condições das cadeiras anfíbias do programa Praia Acessível, alvo de recente denúncia de descarte irregular.  

 “É um grande desrespeito a situação constatada pela reportagem do Diário do Litoral” (Foto: Matheus Tagé/DL)

Lei Federal

Mais do que a insensibilidade do Governo do Estado mais rico da Federação, a questão ‘bate de frente’ com uma tendência nacional de cada vez mais proporcionar o exercício pleno da cidadania.  O Roda SP também contraria lei federal promulgada em 2004, dando prazo 10 anos para as empresas adaptarem suas frotas. Além dos ônibus, os trens do Brasil têm que ser adaptados para o acesso de pessoas com deficiência.

De acordo com a lei, podem ser considerados acessíveis todos os ônibus com piso baixo e rampa de acesso. O elevador ou ainda o acesso em nível em pontos de parada elevados também vale para a normalização. Basta um desses itens para que lei seja cumprida.

Roda SP

O Roda SP é dividido em quatro rotas: Bem Receber, Navegantes, Caminhos do Mar e Calor no Coração. Ele objetiva facilitar a integração turística entre os nove municípios da Região Metropolitana da Baixada Santista e começou no último dia 2, se estendendo até 1º de março.

A passagem custa R$ 10,00. O turista viaja o dia todo com um só ingresso. Ele pode descer em vários trechos do itinerário, de acordo com a rota que escolher, e subir novamente quando quiser. Vale ressaltar que não há venda antecipada de ingresso, que tem validade por 24 horas e deve ser adquirido nos próprios veículos. Para esta temporada nas praias, o Roda SP disponibiliza 26 veículos entre ônibus e vans, inclusive com double-deck.