Superávit primário de 1,2% do PIB será um esforço grande, diz Levy

O ministro disse ainda que esforço fiscal do País é importante, mas não é coisa "desmesurada"

Comentar
Compartilhar
29 ABR 201514h27

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse nesta quarta-feira, 29, que o cumprimento da meta de superávit primário de 1,2% do PIB será um esforço grande, mas será alcançado. "Precisamos que as medidas de ajuste sejam aprovadas para cumprir a meta", afirmou, durante audiência conjunta das Comissões de Finanças e Tributação, de Desenvolvimento Econômico e de Trabalho da Câmara.

O ministro disse ainda que esforço fiscal do País é importante, mas não é coisa "desmesurada". Para ele, é preciso disciplinar os gastos da União e também de Estados e municípios, além de estabilizar e reduzir a dívida pública.

Segundo Levy, a maior parte das medidas adotadas até agora não foi feita com objetivo apenas arrecadatório, mas para melhorar a economia e o ambiente de negócios. "Quando vencermos a primeira etapa do ajuste, temos que melhorar o PIS/Cofins e diminuir o resíduo tributário", completou.

Para a retomada do crescimento, ele defendeu ainda o aumento da produtividade, necessário para continuar o avanço da renda do trabalhador, o aumento das exportações e a maior concorrência. "Temos que sair da nossa zona de conforto", completou.

Joaquim Levy disse que o cumprimento da meta de superávit primário de 1,2% do PIB será um esforço grande (Foto: Agência Brasil)