Suboficial da FAB promete 'visitar' criador da camiseta 'Bozonaro 66.666'

A FAB informou que abrirá um processo investigativo para apurar o caso e que repudia qualquer atitude que não esteja de acordo com as diretrizes de valores dos militares.

Comentar
Compartilhar
02 SET 2018Por Folhapress16h37
A camiseta gerou revolta por parte de muitos apoiadores de Bolsonaro.A camiseta gerou revolta por parte de muitos apoiadores de Bolsonaro.Foto: Divulgação/Fotos Públicas

Desde o lançamento da camiseta "Bozonaro 66.666", o empresário Alberto Hiar, diretor criativo da marca Cavalera, começou a receber mensagens ameaçadoras em sua conta do Facebook. E uma delas partiu do suboficial da FAB (Força Aérea Brasileira), Fabio Luiz Mulazani, que enviou à Hiar um texto onde dizia que "alguém visitaria uma das lojas da marca".

Questionado pelo empresário se aquilo se tratava de uma ameaça, o suboficial disse que não, porém, insistiu para que Hiar informasse o endereço. "Me diga onde fica a loja, ou você não é homem?", perguntou  Mulazani antes de ser bloqueado.

O jornal Folha de São Paulo tentou contato com o suboficial, que não respondeu ao pedido de entrevista até o fechamento dessa matéria.

A FAB informou que abrirá um processo investigativo para apurar o caso e que repudia qualquer atitude que não esteja de acordo com as diretrizes de valores dos militares. 

A Cavalera satirizou outros presidenciáveis, como Geraldo Alckmim, que teve uma camiseta escrita "AlckDead" e também Ciro Gomes, com o título "Ciro Duas Caras". Porém, segundo um funcionário da loja, até o momento nenhum eleitor desses dois candidatos se mostrou descontente com a brincadeira.

*Com informações da Folha de São Paulo e do jornalista Pedro Diniz.