X
Política

STF aceita denúncia, e Jucá torna-se réu em processo ligado à Odebrecht

O senador foi delatado pelo ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Claudio Mello Filho

Será aberta uma ação penal, e o senador passa, pela primeira vez, a figurar como réu no STF / Agência Brasil

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou hoje (13), por unanimidade, denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o senador Romero Jucá (MDB-RR) pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, em um desdobramento da Operação Lava Jato. Com isso, será aberta uma ação penal, e o senador passa, pela primeira vez, a figurar como réu no STF.

Jucá foi delatado pelo ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Claudio Mello Filho. Segundo o executivo, a Odebrecht fez, em 2014, uma doação eleitoral oficial de R$ 150 mil ao diretório regional do MDB em Roraima, ao mesmo tempo em que discutia com o senador a aprovação, no Congresso Nacional, de duas medidas provisórias (MPs) em benefício da empresa.

Para o MPF, o dinheiro foi doado em contrapartida à atuação política de Jucá, que propôs emendas para modificar os textos das MPs 651 e 656, ambas de 2014, de modo a garantir benefícios fiscais ao grupo Odebrecht.

O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, que representa Jucá, afirmou durante o julgamento que o MPF pretende criminalizar a atuação regular do senador como parlamentar. Ele também leu trechos da delação em que se baseou a denúncia, argumentando que, em nenhum momento, Cláudio Melo Filho afirmou, cabalmente, que a doação eleitoral fora contrapartida pela modificação das medidas provisórias.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Roubos de celular seguidos de extorsão crescem 8 vezes em SP

Meses de agosto e setembro deste ano já somam mais ocorrências do que todo o ano de 2020

Polícia

Acusado de matar grafiteiro com skate em São Vicente vai a júri nesta terça-feira

Caso ocorreu em 2014, enquanto a vítima trabalhava em um muro no Catiapoã. O suspeito respondeu ao crime em liberdade até então

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software