Sérgio Cabral diz que marginais tentam enfraquecer polícia de pacificação

Criminosos se infiltraram em uma manifestação contra a desocupação de um prédio. Houve troca de tiros entre os criminosos e a polícia, momento em que o comandante foi atingido com um tiro na perna

Comentar
Compartilhar
21 MAR 201400h08

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, declarou que o ataque aos policiais, durante uma manifestação na área da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos "é mais uma tentativa da marginalidade de enfraquecer a política vitoriosa da pacificação, que retomou territórios historicamente ocupados pela bandidagem para o controle do Poder Público", disse por meio de nota.

Sérgio Cabral reafirmou que o programa das unidades pacificadoras vai continuar, e a nota completa que "O governador Sérgio Cabral mantém o firme compromisso, assumido com as populações das comunidades e com a população de todo o estado do Rio de Janeiro, de não sair, em hipótese alguma, desses locais ocupados e manter a política da pacificação".

De acordo com Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), criminosos se infiltraram em uma manifestação contra a desocupação de um prédio ao lado da Distribuidora de Suprimentos Disup, para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na Avenida Leopoldo Bulhões. Segundo a polícia, houve troca de tiros entre os criminosos e a polícia, momento em que o comandante foi atingido com um tiro na perna.

Sérgio Cabral reafirmou que o programa das unidades pacificadoras vai continuar (Foto: Agência Brasil)