Saúde de Chávez piorou, diz chanceler venezuelano

De acordo com Jaua, Chávez teve complicações nas últimas horas e sua insuficiência respiratória se agravou

Comentar
Compartilhar
22 FEV 201316h37

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Elías Jaua, afirmou há pouco que a saúde do presidente do país, Hugo Chávez, piorou nas últimas horas. De acordo com Jaua, Chávez teve complicações nas últimas horas e sua insuficiência respiratória se agravou. O chanceler venezuelano, que está na Guiné Equatorial para participar da III Cúpula América do Sul - África, representou o vice-presidente Nicolás Maduro, que era esperado até esta sexta-feira (22) pela manhã.

"Houve um processo de complicação na área respiratória. A insuficiência respiratória continua e houve complicações nas últimas horas", revelou Jaua, adiantando que Chávez continua em tratamento. "Comandante Chávez está lutando pela vida, apegado a Cristo".

Jaua leu uma mensagem que seria de Chávez para os chefes de Estado presentes à Cúpula. No texto, o presidente venezuelano, que sediou a II Cúpula, em Isla Margarita, diz que sente muito, "no fundo do seu ser", não estar de presente no encontro e manda "calorosas saudações". Chávez deveria ter sido representado por Nicolás Maduro, mas o vice-presidente não compareceu.

Chávez está em recuperação, desde dezembro do ano passado, por conta de uma cirurgia para a retirada de um tumor na região pélvica (Foto: Divulgação)

Segundo o ministro venezuelano, porque Maduro precisava trabalhar com Chávez, recém-chegado a Caracas depois de mais de dois meses internado em Cuba. A ausência, no entanto, parece ter relação direta com a piora de Chávez. No final da tarde de ontem, uma alta funcionária da chancelaria venezuelana confirmou ao chanceler brasileiro, Antonio Patriota, que Maduro estaria chegando no início daquela noite.

Nos cumprimentos lidos pela presidente Dilma Rousseff no início do seu discurso, no final da manhã de hoje, Maduro ainda constava como o representante da Venezuela. O próprio Jaua parecia ter pressa de ir embora. Não participou do almoço para os chefes de Estado e deixou Guiné Equatorial logo depois do término da abertura da Cúpula.