‘Santos pode receber duas seleções na Copa’

Essa é uma garantia do secretário estadual de Turismo, Cláudio Valverde

Comentar
Compartilhar
23 MAR 201315h03

A Copa do Mundo no Brasil, em 2014, promete aquecer as pastas turísticas do País e, segundo o secretário estadual de Turismo, Cláudio Valverde, a Região não ficará fora da festa. Ele garante que uma seleção — ou até duas — se estabeleça em Santos. O secretário visitou a redação do Diário do Litoral para falar sobre o novo projeto da pasta, o Sabor de São Paulo, e falou também sobre as ações para 2014 durante o campeonato mundial de futebol e o projeto DADE Ampliado, que pode ajudar Cubatão a se tornar estância turística.

Diário do Litoral - Sobre o que se trata o projeto Sabor em São Paulo?
Cláudio Valverde -
O projeto surgiu do então secretário de Turismo, Márcio França, juntamente com o governador Geraldo Alckmin, a partir da necessidade de criarmos um cardápio paulista. Em outros estados, esta questão é muito bem trabalhada. Na Bahia, por exemplo, tem a moqueca, o acarajé. A culinária cearense também é muito forte, assim como a gaúcha e a capixaba. Em São Paulo, falta uma identidade gastronômica. Mas nós temos uma riqueza gastronômica muito grande, só que ela não é explorada. Um fator importante: nós dividimos isso com a culinária mineira. Os tropeiros saíram de São Paulo para desbravar e levaram a culinária tropeira. O mineiro se apropriou dela. Hoje, ela ocupa uma posição de destaque. Um dos fatores que sufocou a culinária paulista foi a forte imigração italiana no interior de SP e também a questão da elite ter um pouco de vergonha dos nossos produtos. A Secretaria então quer contar a história de São Paulo através da gastronomia. Hoje, o turismo moderno contempla quatro pilares: viajar, dormir, comer e visitar. Há cinco anos existiam quatro cursos de gastronomia no Brasil, hoje são 96. A gastronomia, atualmente, ocupa um lugar de destaque. Visando este ‘case’ de sucesso, nós criamos este programa. Estamos fazendo este concurso para resgatar e criar uma identidade gastronômica nas regiões. Nós já fizemos em São Carlos, Bauru, São José do Rio Preto. Esta semana estaremos em Sorocaba, depois aqui em Santos, Campinas e São Pedro, depois finalizamos em São Paulo.

DL - O programa não é voltado somente para as pessoas que fizeram cursos de gastronomia?
Valverde -
Não é necessário. Qualquer um pode entrar no site do concurso (www.sabordesãopaulo.com.br) e inscrever a sua receita até o dia 31 de março. A etapa de Santos acontecerá no dia 11 de abril, no Senac. No final, as receitas estarão presentes em um grande livro que será exposto pela Secretaria de Turismo em eventos da Copa das Confederações e nas Olimpíadas para divulgar a riqueza do Interior de São Paulo.

O secretário estadual de Turismo, Cláudio Valverde, diz que tem certeza que, pelo menos, uma seleção ficará em Santos durante a Copa do Mundo de 2014 (Foto: Matheus Tagé/ DL)

DL - Já que o senhor falou de Copa, o que já tem preparado para a Copa do Mundo aqui na Região? Quais são as ações e os planos para os próximos meses? Valverde - Santos é uma região que ocupa uma posição de destaque. Nós temos cadastrados hoje, na CBF, 66 sub-sedes — entre centros de treinamentos e hotéis. Deste número, 26 estão no Estado de São Paulo. Isso mostra a qualidade da infraestrutura e capacidade de bem receber. Em Santos, há um grande ‘case’ de sucesso que é o Pelé e a estrutura do Santos Futebol Clube, que está inscrito com dois centros de treinamento. Recentemente, o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, visitou a Cidade e elencou suas potencialidades. Há uma disputa muito grande por várias seleções para se estabelecerem aqui, por conta da grande infraestrutura que a Cidade tem e a proximidade com a Capital e com os dois grandes aeroportos do Estado: Congonhas e Guarulhos. Tenho certeza que uma seleção ficará na Cidade. Mas há também a possibilidade de duas delegações ficarem em Santos.

DL - Guarujá também irá receber uma seleção?
Valverde -
Guarujá também deve receber uma. A região com certeza receberá delegações. Isso impulsiona o desenvolvimento regional. Países que receberam grandes eventos como este sofrerão uma grande transformação. Barcelona é um grande exemplo disso.

DL - Outra questão da região relacionada à pasta de Turismo é a transformação de Cubatão como estância turística. É uma questão antiga. Qual é o andamento da situação? Como o Governo está encaminhando o pedido da Cidade?
Valverde -
Na última quarta-feira, nós nos reunirmos por isso, para debater uma política de distribuição de recursos focada no turismo. Nós temos o DADE, o Departamento de Apoio de Desenvolvimento às Estâncias. Então, nós temos 67 estâncias no Estado de São Paulo que dividem um subsídio de R$ 283 milhões. E o governador Geraldo Alckmin resolveu ampliar este número. Nós estamos criando uma nova modalidade no Estado que é o DADE Ampliado, um novo fundo. Nós vamos tirar 10% desses R$ 283 milhões, ou seja, R$ 28 milhões, e vamos aportar mais uma contrapartida no mesmo valor do Tesouro do Estado de São Paulo. Ou seja, serão R$ 60 milhões que nós vamos distribuir para, aproximadamente, 150 municípios que passarão a receber anualmente algo em torno de R$ 450 mil para investimento em infraestrutura turística. Assim as cidades vão poder construir um PIT, que é um posto de informação turística, ou fazer um projeto de sinalização turística internacional no município, fazer um plano diretor de turismo — uma espécie de inventário. Não basta o munícipio querer ser uma estância ou querer fazer parte dos municípios de interesse turístico se não reúne as condições necessárias ou não tem um conjunto de atrações que possibilite que ele seja uma estância turística. Então, dentro deste inventário, o que é abordado? O número de hotéis, de leitos, de restaurantes, qual o receptivo, se tem um conselho de turismo atuante e deliberativo, se tem uma Secretaria de Turismo. Nós vamos fazer um mapeamento e depois um ranqueamento para elencar essas 150 cidades. O governador Geraldo Alckmin anunciou no ano passado no Congresso Paulista dos Munícipios, junto com o então secretário Márcio França, a criação deste fundo. Nós passamos ao longo do ano, criando os critérios necessários. No dia 5 de abril, estaremos aqui novamente, no Congresso Paulista, que este ano será realizado em Santos, para anunciar as regras da criação desse fundo. É uma política que visa democratizar a distribuição do recurso das estâncias.

DL - Se Cubatão não tem condições para ser estância turística, esse novo projeto vai ajudar a cidade a se capacitar para isso?
Valverde -
Sim. Vai ajudar. Esse projeto vai fazer um ranqueamento. Dessas 150 cidades, a cada biênio, vão subir três munícipios e vão cair mais três. Cairão aqueles que não aplicaram a verba corretamente. Mas se, por exemplo, Cubatão estiver dentro das três primeiras cidades do ‘ranking’, ela terá a possibilidade de se tornar estância turística. Como um campeonato de futebol, com o objetivo de criar uma competição saudável para que os munícipios não se acomodem.