X
Política

Relator da Previdência diz que críticos em rede social usam prática nazista

A proposta do governo prevê que o trabalhador pode se aposentar com 65 anos de idade e 25 de contribuição

Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) disse que os críticos usam prática nazista / Agência Brasil

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), comparou as críticas à proposta do governo nas redes sociais ao nazismo. Segundo ele, "inverdades" estão sendo divulgadas, o que seria uma prática nazista.

"As inverdades repetidas de maneira maciça, isso é uma prática do nazismo. A mentira repetida, repetida, e repetida se torna verdade. É o que está acontecendo nas redes sociais. Quando as pessoas dizem que o projeto prevê que as pessoas vão ter que trabalhar 49 anos para se aposentar é uma mentira", disse o deputado.

A proposta do governo prevê que o trabalhador pode se aposentar com 65 anos de idade e 25 de contribuição. Para receber o valor integral, no entanto, é necessário chegar a 49 anos de contribuição -exceto para quem tem direito ao salário mínimo, que é o piso garantido para todas as aposentadorias.

Oliveira Maia afirmou que o governo federal tem perdido a "guerra da comunicação" em relação à reforma da Previdência.

"É verdade que o governo tem perdido a guerra da comunicação. É verdade. Temos perdido, reconheço. Mas isso não quer dizer que o governo não esteja com a razão. [...] É mais fácil dizer que ninguém se aposenta mais do que as pessoas se debruçarem sobre a realidade da Previdência Social e tentarem construir um caminho", disse.

Judiciário

A Justiça Federal do Rio Grande do Sul suspendeu a campanha publicitária do governo de Michel Temer em defesa da reforma da Previdência. A decisão, publicada nesta quarta-feira (15), é liminar (provisória), válida para todo o país. Cabe recurso.

Com a decisão, o governo precisa suspender comerciais em televisão, rádios, publicações impressas (jornais e revistas), internet, painéis de mídia exterior (outdoors) e de mídia interior (indoors instalados em aeroportos, estações rodoviárias e em quaisquer outros locais públicos).

Segundo a juíza Marciane Bonzanini, há uso inadequado de recursos públicos e desvio de finalidade na campanha a favor da reforma.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Professor usa plataforma pornô para dar aulas de matemática

O taiwanês trabalhava há tempos no mercado de cursinhos, um ramo milionário em uma região marcada pela competitividade no ambiente educacional

Cotidiano

Semana terá clima maluco, por isso, leve guarda-chuva, protetor solar, casaco, para-raio e um bote

Clima indeciso marcará últimos dias de novembro

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software