PT vai recorrer ao TSE contra programa do PSDB

O presidente do partido, Rui Falcão, se refere a Aécio Neves e diz que o "candidato derrotado" nas últimas eleições presidenciais mostra "indignação postiça"

Comentar
Compartilhar
20 MAI 201515h41

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou nesta quarta-feira, 20, que o partido irá entrar com ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o programa do PSDB veiculado na noite desta terça-feira, 19, em cadeia nacional de rádio e TV. Em nota, Falcão não cita nomes, mas faz menções indiretas ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ao presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), protagonistas do programa.

"Pior que tudo é o ressurgimento daquele que, após deixar comprarem a sua reeleição, posa agora de campeão da moralidade. Triste papel a que foi relegado! O PT não vai deixar que eles transformem a calúnia em verdade. Nem vai permitir que eles tentem nos cobrir com a lama de sua própria hipocrisia", diz Falcão em nota.

Ele também se refere a Aécio Neves e diz que o "candidato derrotado" nas últimas eleições presidenciais mostra "indignação postiça". "De memória curta e alentado prontuário, o candidato derrotado, cuja gestão em Minas Gerais devastou o Estado, invade o vídeo com indignação postiça e pureza inconvincente", ataca o petista.

Antecipada nas redes sociais, a propaganda do PSDB adotou o mote "Oposição a favor do Brasil". Os casos de corrupção na Petrobras tiveram destaque. Em sua fala, FHC usou um bordão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para criticar os adversários. "Nunca antes na história desse País se errou tanto e se roubou tanto em nome de uma causa".

Rui Falcão disse que o PT vai recorrer ao TSE contra programa do PSDB (Foto: Agência Brasil)

O ex-presidente tucano inovou na estratégia da legenda ao colocar o ex-presidente Lula diretamente na linha de tiro. "Os enganos e desvios começaram no governo Lula", disse Cardoso. A palavra "impeachment" ficou de fora, mas FHC afirmou que se sabe "o suficiente" sobre o "petrolão" para que "a sociedade condene a todos aqueles que promoveram tamanho escândalo".

Na contraofensiva, o presidente do PT, Rui Falcão, também cita indiretamente o conflito ocorrido no final do mês de abril entre policiais e professores no Estado do Paraná e as denúncias de recebimento de dinheiro ilícito pelo governador Beto Richa (PSDB). "O PSDB usa o programa para ocultar seus inúmeros malfeitos e ilicitudes. Não bastassem os escândalos do mensalão mineiro, do bilionário cartel do trensalão do governo de São Paulo, da denunciada propina de R$ 10 milhões para um ex-presidente do partido, os tucanos tentam desviar a atenção de sua mazela mais recente: a do governador que, acusado de receber propina, massacra os professores e aterroriza a população", diz Falcão.

No trecho final, o dirigente anuncia que o partido irá apresentar a representação no TSE contra o PSDB. "De imediato, estamos representando no TSE contra o programa. E vamos continuar combatendo a campanha suja, odiosa e reacionária dos tucanos e seus sequazes", conclui.