PSOL vai representar contra desembargadora que afirmou que Marielle era 'engajada com bandidos'

Muito criticada, a desembargadora apagou a publicação horas depois e disse, ainda, que escreveu aquilo "acreditando na veracidade das informações que uma outra amiga havia postado".

Comentar
Compartilhar
18 MAR 2018Por Da Reportagem10h02
A desembargadora disse que escreveu tais coisas graças a um outros texto, publicado por uma amiga.A desembargadora disse que escreveu tais coisas graças a um outros texto, publicado por uma amiga.Foto: Reprodução/Facebook

O PSOL vai entrar com representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra a desembargadora Marilia Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que acusou Marielle Franco de ser “engajada com bandidos”.

O texto, que está sendo preparado pelo partido, deve ser protocolado no início da semana.

A desembargadora publicou em seu perfil no Facebook: “A questão é que a tal Marielle não era apenas uma ‘lutadora’, ela estava engajada com bandidos! Foi eleita pelo Comando Vermelho e descumpriu ‘compromissos’ assumidos com seus apoiadores. Ela, mais do que qualquer outra pessoa ‘longe da favela’ sabe como são cobradas as dívidas pelos grupos entre os quais ela transacionava”.

Muito criticada, a desembargadora apagou a publicação horas depois e disse, ainda, que escreveu aquilo "acreditando na veracidade das informações que uma outra amiga havia postado".