PSDB de São Paulo expulsa quadros que apoiam Márcio França

As expulsões não passaram pelo crivo da executiva do diretório e foram decisões do presidente do diretório, que fez as desfiliações sumárias

Comentar
Compartilhar
23 ABR 2018Por Folhapress16h38
PSDB de São Paulo expulsou membros que apoiam o governador Márcio França (PSB)Foto: Divulgação/Alesp

O PSDB paulista expulsou do partido nesta segunda-feira (23) o prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, e o ex-prefeito de Botucatu João Cury, nomeado secretário de Educação do estado. O presidente do diretório da sigla em São Paulo, Pedro Tobias, notificou ambos da decisão.

No caso de Maranhão, a expulsão do partido ocorre por ele ter anunciado apoio ao governador Márcio França (PSB) na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, no lugar de João Doria (PSDB).

Em 2015, o prefeito de Rio Grande da Serra chegou a ser alvo de um processo de expulsão por ter apoiado Dilma Rousseff (PT) contra Aécio Neves (PSDB-MG) na eleição de 2014, mas o caso foi arquivado.

Já João Cury, segundo o presidente do diretório, abriu mão de se candidatar a deputado federal em outubro deste ano para assumir uma secretaria no governo de França pelos próximos nove meses.

Embora não tenha declarado que estará ao lado do pessebista nas eleições, tucanos leram no gesto que ele escolheu um lado ao deixar o partido com uma candidatura na mão.

Tobias justificou a expulsão de Cury com o argumento de que ele desrespeitou os incisos III e V do art, 15 do estatuto partidário, o que configura "irrefutável transgressão ética".

As expulsões não passaram pelo crivo da executiva do diretório e foram decisões do presidente do diretório, que fez as desfiliações sumárias.

Nesta segunda, o PSDB também expulsou o prefeito de Bariri, Paulo Henrique de Barros Araújo, preso no sábado (21), acusado de ter abusado de uma criança.