'Proposta e cantada tem uma atrás da outra, é igual mulher', afirma deputado

Sentado em uma das cadeiras do plenário da Câmara, Adalberto Cavalcanti (Avante-PE), 60, dá risadas quando é questionado sobre as "cifras" que estão sendo oferecidas aos parlamentares.

Comentar
Compartilhar
24 FEV 2018Por Folhapress17h59
Deputado diz que recebe "uma cantada atrás da outra".Deputado diz que recebe "uma cantada atrás da outra".Foto: Divulgação/Alepe/Fotos Públicas

Sentado em uma das cadeiras do plenário da Câmara, Adalberto Cavalcanti (Avante-PE), 60, dá risadas quando é questionado sobre as "cifras" que estão sendo oferecidas aos parlamentares.

"Ela está me perguntando em cifras!", reagiu rindo o deputado, olhando para um colega na fileira de trás. "Mas você acha que alguém que recebe proposta vai te dizer?"

A reportagem apurou que ele é um dos assediados e espera posicionamento do seu partido, que se chamava PT do B. "Minha amiga, proposta e cantada é uma atrás da outra. É igual mulher. Todos têm proposta."

PERGUNTA - O senhor recebeu proposta para sair?
ADALBERTO CAVALCANTI - Me chamaram para ir para o PP, DEM, mas eu não vou. Partido é igual religião, Deus é um só. Tem um monte de partido, mas Deus é um só. Eu fui para o PMB e me lasquei. Uma decepção. Prometeram tudo....

P - Mas o que prometem agora?
AC - Não prometeram nada, eu estou aguardando. A janela vai abrir, vamos ver. Qual deputado que não vai ver uma proposta? O fundo partidário é para isso. Por menor que seja o partido, ele vai ter fundo partidário.

P - Partidos grandes vão ter menos dinheiro para deputado, certo?
AC - É isso, é a realidade da vida.

P - Mas o que a gente quer saber é quanto os partidos vão distribuir do fundo.
AC - Eu não sei, cada um diz uma coisa. Quando você chega lá, é outra coisa.

P - Mas está igual a futebol, oferecendo luva, bicho...
AC - Isso, mas quando você chega lá, é tudo diferente, não é nada daquilo.

P - Isso está contando muito, então?
AC - Não resta dúvida.

P - Mas o senhor foi convidado para ir para outro partido
AC - Minha amiga, proposta e cantada é uma atrás da outra. É igual mulher. Todos têm proposta. Todos.

P - O que o sr. está esperando?
AC - Preciso ver como vai ficar o país. Ninguém sabe. Se Lula é candidato. Não vou me precipitar, fazer a mesma loucura que já fiz antes.

P - O sr. está esperando para ver qual estrutura vão oferecer?
AC - Todos vão ter alguma estrutura, o maior e o menor. Minha amiga, vamos aguardar o mês de março. Tem muita gente saindo. Você vai ver um pula-pula. Mas você acha que alguém que recebe proposta vai te dizer? Tu achas que alguém vai dizer?

P - Por que não diria? Tem algo de ilegal?
AC - Se você faz uma matéria dizendo que um partido vai dar tanto pra um deputado, os eleitores caem em cima

P - Queria saber o que os partidos estão oferecendo. O que o seu partido está oferecendo?
AC - O meu? O meu partido está de braços abertos para mim.

P - Mas em cifras, o que significa esse braço aberto?
AC - Hahaha. Ela está me perguntando em cifras! Hahaha. Você é simpática. Não adianta, não vou me precipitar. Vou analisar. A eleição da gente é muito complexa. Não é fácil. Está todo mundo sem saber como é que faz. Se de repente eu perceber que não vou me reeleger, pego minhas coisas e vou pra casa.