Procurador da República diz que força-tarefa achou R$ 70 milhões de Duque

Deltan Dallagnol disse que, numa estimativa simples, os acusados poderiam ser condenados de 21 a 117 anos de prisão caso sejam sentenciados

Comentar
Compartilhar
16 MAR 201517h41

O procurador da República Deltan Dallagnol, que encabeça a força-tarefa da Operação Lava Jato, afirmou nesta segunda-feira, 16, que a Procuradoria da República no Paraná identificou recursos no exterior do ex-diretor de Serviço da Petrobras Renato de Souza Duque no total de 22,5 milhões de euros (R$ 70 milhões), bloqueados a partir de ação do Ministério Público Federal (MPF). Duque voltou a ser preso nesta segunda-feira pela Polícia Federal (PF).

Em coletiva de imprensa nesta tarde, em Curitiba, Dallagnol afirmou ainda que também foram achados 10 milhões de euros (R$ 31,1 milhões) que seriam do ex-diretor de Internacional da estatal Jorge Zelada. Mas, de acordo com o procurador da República, Zelada não foi objeto da denúncia feita nesta segunda-feira. Dallagnol disse que o MPF e a PF farão o rastreamento desse dinheiro.

O procurador disse que, numa estimativa simples, os acusados poderiam ser condenados de 21 a 117 anos de prisão caso sejam sentenciados em três condenações por corrupção e três por lavagem de dinheiro. No caso de o denunciado ser condenado por um crime de corrupção e um de lavagem de dinheiro, a pena pode partir de 7 anos e 8 meses a 41 anos de detenção.

Força-tarefa achou R$ 70 milhões de Renato Duque (Foto: Marcos de Paula/Estadão Conteudo)