SEDUC

Primeira-dama de SV: ‘Mandá-la embora nem pensar’

A frase é do deputado Luciano Batista, que defende a permanência de primeira-dama de SV em seu gabinete

Comentar
Compartilhar
21 FEV 201503h03

O deputado estadual Luciano Batista (PTB), que deixa o cargo em 14 de março próximo, defendeu ontem a primeira-dama de São Vicente, Valéria Rodrigues Lins da Silva — esposa do prefeito Luis Cláudio Bili (PP) — sua assessora especial parlamentar na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Ele garantiu que não vai exonerála em função do rompimento político com o chefe do Executivo vicentino.

“Apesar da Cidade estar uma vergonha, estou discutindo politicamente com o marido dela, não com ela. Mandá-la embora nem pensar, pois não existe conflito. Eu mesmo permiti que ela presidisse o Fundo trabalhando comigo, pois os dois imóveis (do Fundo e do escritório político do deputado) são próximos”, afirmou ontem, por telefone, o parlamentar.

Batista enfatiza que tanto Valéria Lins, como Sheila Scudeli, trabalham há anos A frase é do deputado Luciano Batista, que defende a permanência de primeira-dama de SV em seu gabinete Primeira-dama de SV ao seu lado. A primeira desde 2007 e a segunda (Sheila) desde 1995. “Ambas são muito competentes”, completou o deputado, alertando que os salários delas são inferiores ao citado na reportagem de ontem do Diário do Litoral. “O que foi publicado são os salários brutos. Os salários líquidos são R$ 7 mil (Sheila) e R$ 8 mil (Valéria)”.


Deputado Luciano Batista garante que não vai exonerar primeira-dama (Foto: Matheus Tagé/DL)

Dupla função

A Reportagem descobriu a dupla função da primeiradama por intermédio das redes sociais e confirmou a atividade ‘extra’ no próprio site da Alesp. A esposa do ex-chefe de Gabinete do prefeito Fabiano Scudeli, Sheila Daiane Mascarenhas Scudeli, exerce o cargo de assessora técnica parlamentar.

O salário bruto de ambas é razoável. A primeira-dama recebe R$ 11.849,48 e Sheila R$ 10.683,95, conforme tabela de cargos e salários de 2014 da Alesp. Ambas são lotadas no escritório político do deputado, em São Vicente. No Fundo Social, Valéria Lins não tem salário e, conforme a Prefeitura, cumpre expediente diário, o que não foi confirmado na última quinta-feira (19) pela Reportagem.