X

Política

Presidente interina, Cármen Lúcia afirma ver raiva em período eleitoral

Sem se referir a nenhum candidato, Cármen afirmou que 'é difícil ser um povo quando nos colocamos uns contra os outros, e não contra as ideias dos outros'

Folhapress

Publicado em 27/07/2018 às 16:48

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A ministra do STF está interinamente como presidente da República em razão de viagens do presidente Michel Temer, na África do Sul para reunião dos Brics, e dos demais na linha sucessória / Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

A presidente interina da República, Cármen Lúcia, ministra do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou nesta sexta-feira (27) ver manifestações de "raiva" do atual cenário eleitoral brasileiro.

Sem se referir a nenhum candidato, Cármen afirmou que "é difícil ser um povo quando nos colocamos uns contra os outros, e não contra as ideias dos outros".

"Somos um povo, formamos uma nação. No entanto, onde quer que eu pouse meus olhos, parece que descortino sempre uma multiplicidade de pensares, expressões, contradições, manifestações emocionais exasperadas, com cores fortes, contraditórias. E não poucas vezes tomadas de manifestação do que me parece ser raiva. É algo que nunca tinha visto desta forma", disse ela, em palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

A ministra do STF está interinamente como presidente da República em razão de viagens do presidente Michel Temer, na África do Sul para reunião dos Brics, e dos demais na linha sucessória. Os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) também saíram do país para não assumir o cargo, o que poderia inviabilizar as respectivas candidaturas.

"Basta ter olhos a ver que estamos vivendo, não uma pátria mãe gentil, a falta de gentileza parece que está presente de todos nós. É preciso que nós recobremos basicamente a sermos filhos gentis para que essa pátria seja uma mãe gentil para todos", afirmou.

O Judiciário tem sido tema nas últimas semanas da pré-campanha presidencial. O deputado Jair Bolsonaro (PSL) defendeu a nomeação de dez novos ministros para o STF. O ex-presidente Lula (PT) defendeu limitar os poderes da corte e o mandato de seus componentes. Já Ciro Gomes (PDT) defendeu "botar juiz para voltar para a caixinha dele".

Cármen não comentou as declarações -nem sequer deu entrevista. Disse apenas, de forma genérica, que "qualquer descumprimento das instituições democráticas é descumprir a lei".

"No momento de acirramento de ânimos, precisamos que nos unamos na dignidade humana", disse, em discurso.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Trabalhador cai de andaime e morre em Bertioga

Ele estava reparando o telhado da quadra da Escola Estadual professor Archimedes Bava quando sofreu o acidente

Esportes

De algoz a novo reforço? Santos quer Breno Lopes para jogar a Série B

Jogador marcou o gol da vitória alviverde na Libertadores de 2020

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter