Presidente egípcio elogia nova Constituição do país e pede diálogo

Morsi elogiou o endosso da maioria dos eleitores à nova Constituição e pediu às facções políticas para participarem de um diálogo nacional.

Comentar
Compartilhar
26 DEZ 201217h30

O presidente do Egito, Mouhamed Morsi, elogiou nesta quarta-feira (26) o endosso da maioria dos eleitores à nova Constituição do país e pediu a todas as facções políticas para participarem de um diálogo nacional. A nova Carta foi aprovada por 63% da população em um polêmico referendo.

As semanas prévias à votação foram marcadas por conflitos e crise política, pois grupos cristãos e seculares alegam que o texto da Constituição favorece a população islâmica (da qual Morsi e seu partido fazem parte), não respeita liberdades de expressão e religiosa e trai a revolução que derrubou o ex-presidente Hosni Mubarak.

Em seu primeiro pronunciamento público desde que transformou a Constituição em lei, Morsi disse que o povo escolheu a Carta "por livre e espontânea vontade" em uma votação "totalmente transparente". Morsi afirmou que a aprovação do texto constitucional significa que o Egito pode passar a uma nova fase, de busca pela segurança e estabilidade.

Em seu primeiro pronunciamento público desde que transformou a Constituição em lei, Morsi disse que o povo escolheu a Carta